Aneurisma cerebral

Graduação em Farmácia (Universidade Braz Cubas, UBC, 2012)

O aneurisma cerebral é uma área fragilizada na parede pela dilatação excessiva de um vaso sanguíneo (aproximadamente 50% do diâmetro normal) que irriga o cérebro, normalmente formando uma protuberância no local. A região do vaso sanguíneo se torna tão fraca que pode sofrer ruptura causando hemorragias cerebrais graves, porém pode permanecer intacta por toda a vida do indivíduo sem causar-lhe grandes problemas. Existem outros tipos de aneurismas que ocorrem em diversas áreas do corpo, porém as que levam maiores riscos de morte são as do tipo cerebral, aorta torácica e abdominal.

Tipos de aneurismas. Ilustração: Timonina / Shutterstock.com

Tipos de aneurismas. Ilustração: Timonina / Shutterstock.com

Aproximadamente 6,5 mil pessoas morrem por aneurisma todo ano no Brasil. Em 2010 das 6,680 que ocorreram no país 5.079 foram na região Sul e Sudeste e no mundo é a décima causa de mortes. Quando há rompimento dos aneurismas a porcentagem de morte chega entre 30 e 40%, entre 20 e 35% dos pacientes ficam com sequelas moderadas ou graves e apenas 15 a 35% dos casos apresentam mínimas sequelas ou nenhuma.

Algumas doenças podem estar associadas a um risco maior na formação do aneurisma cerebral quando comparada com a população geral, esses indivíduos são os portadores de displasia fibromuscular, rins policísticos, síndrome de Moyamoya, síndrome de Marfan, Síndrome de Ehlers-Danlos, lúpus eritematoso sistêmico, anemia falciforme, neurofibrimatose e síndrome de Osler-Weber-Rendu. Apesar dos portadores que apresentam essas patologias terem maior probabilidade de adquirir aneurisma, segundo especialistas da área, um dos fatores que mais influenciam no desenvolvimento do aneurisma é o fumo, o abuso de drogas como o álcool e a cocaína. É importante também ressaltar que dos indivíduos que apresentam aneurisma, 50% são hipertensos.

Sintomas

Na maioria dos casos surgem sintomas quando há ruptura do vaso. Em geral ocorre dor de cabeça intensa quando o rompimento deste é parcial, em situações onde o aneurisma se rompe totalmente a pessoa pode ter perda dos sentidos, dores de cabeça ou até entrar em coma, nestes casos a pessoa deve ser hospitalizada imediatamente para que os danos não se agravem. Podem aparecer sintomas como vômito, rigidez da nuca, dificuldades para enxergar, visão turva, dores no fundo dos olhos, fraqueza em um dos lados do corpo, dificuldade em caminhar e até mesmo crises convulsivas.

A avaliação de pessoas com histórico de aneurisma rompido na família deve ser constante, principalmente no que se refere a hipertensão arterial. Para evitar também é importante não fumar , não beber em excesso e não utilizar drogas de abuso. Alimentar-se de forma correta e seguir uma dieta saudável limitando o consumo de cafeína pois esta pode contribuir para o aumento da pressão, e a prática regular de exercícios físicos são fatores importantes para a prevenção do rompimento.

Para o tratamento de aneurismas os especialistas normalmente seguem duas possíveis formas, a cirurgia ou a embolização endovascular. Na cirurgia é inserido um clipe metálico na base do aneurisma, retirando-o da circulação, e na embolização leva-se um cateter em direção ao aneurisma, e lá são introduzidas molas para fazê-lo cicatrizar, porém nesse caso o aneurisma pode voltar a se abrir, sendo necessário um novo tratamento ao paciente.

Referências bibliográficas:
http://www.redebrasilavc.org.br/para-pacientes-e-falimiares/o-que-e-aneurisma-cerebral/

http://medicosdeportugal.sapo.pt/utentes/doencas_cardiovasculares/aneurisma_da_aorta_abdominal_e_a_10a_causa_de_morte_em_todo_o_mundo

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.