Coccidioidomicose

A coccidioidomicose, também chamada de febre de São Joaquim, febre do vale ou doença de posada-Wernicke, é uma infecção pulmonar que tem como agente etiológico o fungo Coccidioides immitis.

Este agente é um fungo disfórmico atípico. Na natureza e em cultura, o C. immitis apresenta-se como micélios típicos com hifas; todavia, no organismo humano apresenta-se atipicamente, assumindo forma esférica, chamadas esférulas, compostas por vários endósporos.

Os esporos deste fungo são encontrados em solo de determinadas áreas da América do Norte, em especial na Califórnia, Texas, Utah, Novo México, Arizona e Nevada. Também é encontrado na América Central e América do sul, locais onde há relatos de alguns casos da doença.

Uma vez que a contaminação ocorre por meio da inalação dos esporos, alguns trabalhadores, como os agricultores, são mais susceptíveis ao desenvolvimento desta doença. Também é comum acometer indivíduos portadores do HIV, pois estes apresentam sistema imunológico deficiente.

Aproximadamente 60% dos indivíduos acometidos pela forma aguda da doença, habitualmente não apresentam manifestações clínicas, pois o sistema imunológico elimina o agente patológico, limitando a sua disseminação pela geração de granulomas. Contudo, uma pequena porcentagem dos indivíduos acometidos pelo fungo C. immitis apresentam pneumonia, febre, sudorese, tosse, expectoração e dispnéia. Em cerca de 5% dos casos pode haver pneumonia crônica que lembra à da tuberculose, e apenas 1% dos indivíduos podem apresentar manifestações sistêmicas após disseminação do fungo através da corrente sanguínea, em especial, os idosos e imunodeprimidos, havendo formação de granulomas que ocasionam nódulos na pele (eritema nodoso), conjuntivite e dores articulares e ósseas.

Suspeita-se da doença quando o indivíduo mora em zonas endêmicas ou esteve em alguma recentemente. Para a confirmação, colhem-se amostras da expectoração ou pus do paciente para realização de exames laboratoriais. Análises sanguíneas podem evidenciar a presença de anticorpos contra o fungo em questão.

O tratamento é feito por meio do uso de antifúngicos, sendo a anfotericina B o fármaco de eleição. Também podem ser usados derivados do azol, como o fluconazol.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Coccidioidomicose
http://medicinanet.com.br/conteudos/revisoes/1737/coccidioidomicose.htm
http://www.manualmerck.net/?id=211&cn=1781
http://www.tuasaude.com/coccidioidomicose/

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.