Salmonelose

Graduação em Biologia (CUFSA, 2010)
Especialização/MBA em Análises Clínicas (Uninove, 2012)

Salmonelose ou gastroenterite por Salmonela é uma infecção causada por alguns tipos de bactérias do gênero Salmonella. As salmonelas são encontradas no trato intestinal de humanos e animais. Todas as Salmonelas são consideradas potencialmente patogênicas, ou seja, causam doenças.

A salmonela invade a mucosa intestinal e se multiplica. Em alguns casos ela pode atravessar a mucosa intestinal e penetrar nos sistemas linfáticos e cardiovascular e se disseminar para diversos órgãos. O período de incubação da bactéria é de 12 a 36 horas.

Esse tipo bacteriano é responsável por graves intoxicações alimentares e associadas a surtos em todo o mundo. Apesar disso, as taxas de mortalidade por gastroenterite são baixas.

Os sorotipos mais virulentos de salmonela causam outra condição denominada febre tifoide, uma infecção mais grave do que a salmonelose. Em casos onde o indivíduo é contaminado por esses tipos, ao invés de desenvolver a gastroenterite por salmonela, é desenvolvido a febre tifoide, no entanto, a transmissão das doenças podem diferenciar as mesmas, já que na febre tifoide a transmissão ocorre quase exclusivamente entre os seres humanos, e na salmonelose, ocorre principalmente por produtos animais, como carnes e também por seres humanos.

Transmissão

A principal forma de transmissão se dá pela ingestão de produtos à base de carne, alimentos crus ou malcozidos, principalmente carnes de aves como frango, ovos, leite não pasteurizado e a água. O frango é particularmente mais suscetível a contaminação nas fabricas de processamento. O ovo pode ser contaminado antes de ser posto ou no momento da postura, por rachaduras na casca e a galinha pode ser assintomática, ou seja, não apresentar nenhum sintoma. Apesar de associadas a intoxicações graves, são os raros os casos de complicações da doença. Os grupos de risco são idosos e crianças e o tratamento deve ser realizado por um médico. A principal complicação associada é o choque séptico.

Sintomas

Os sintomas incluem febre moderada, acompanhada de náuseas e vômitos, dor abdominal, cólicas e diarreia.

Diagnóstico

O diagnóstico da doença ocorre por exames de fezes, onde é detectada a presença da bactéria e o tipo bacteriano que está causando a infeção. Pode ser ainda pelo isolamento de vômito ou de alimentos suspeitos. As fezes são coletadas na fase aguda. O teste globalmente mais utilizado para a pesquisa de agentes bacterianos em fezes é a coprocultura. Em crianças, onde a coleta das fezes pode ser difícil, os swabs retais são uma medida aplicada.

Tratamento

Diferentes de outras infecções bacterianas, o tratamento com antibióticos não é o mais indicado em casos de salmonelose ou em doenças diarreicas. A medida mais indicada é baseada na reidratação oral do paciente, não sendo recomendado o uso de remédios. Normalmente, a recuperação ocorre em alguns dias, em geral, em até sete dias, mas é importante ressaltar que mesmo após a melhora do quadro, em muitos casos, os pacientes continuam a eliminar a bactéria nas fezes, e podem ainda disseminar a doença em um período de até 6 meses. A indicação dos antibióticos ocorre em casos mais graves e nos grupos considerados de risco. Caso a doença não regrida ou apareça sangue nas fezes, é necessário procurar ajuda profissional.

Prevenção

A prevenção depende de boas medidas de saneamento, para deter a contaminação. Lavar bem as mãos e os alimentos são importantes. Evitar a ingestão de alimentos crus ou malcozidos, o cozimento destrói as bactérias. Os ovos devem em particular ser cozidos, ou bem fritos, mas com atenção, pois na fritura de um lado apenas a bactéria pode resistir e não ser morta. O cozimento deve ser realizado por mais de quatro minutos.

Depois de ser contaminado, o indivíduo pode continuar disseminando a bactéria pelas fezes, então um cuidado redobrado deve ser realizado, sempre lavar as mãos após ir ao banheiro e cuidado no preparo de alimentos, higienizando as mãos antes e depois e lavar com água e sabão os instrumentos que foram utilizados no preparo do alimento, como a faca e a tabua de cortar, que também podem transportar as bactérias.

Fontes:

TORTORA, G.J., FUNKE, B.R., CASE, C.L. Microbiologia. -8. ed.-Porto Alegre: Artmed, 2005.

http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/Salmonella

https://www.hospitalinfantilsabara.org.br/sintomas-doencas-tratamentos/salmonelose/

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.

Arquivado em: Doenças bacterianas