Sarcoma

Graduação em Biologia (CUFSA, 2010)
Especialização/MBA em Análises Clínicas (Uninove, 2012)

Sarcomas são tumores raros e heterogêneos, com uma família variada de tipos, que acometem o tecido conjuntivo, esse que possui a função de conexão, sustentação e preenchimento, e pode aparecer em qualquer parte do corpo. O tecido conjuntivo é constituído por fibroblasto, macrófagos, mastócitos e células mesenquimais e realiza diversas funções nos processos metabólicos do organismo como armazenamento de gordura, que é utilizada na produção de energia, participa da defesa do corpo, coagulação sanguínea e outras diversas funções importantes.

Existem diversos tipos de sarcomas, mais de 50 segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e eles são classificados em dois grandes grupos que são os sarcomas de partes moles e sarcomas ósseos. Os locais mais acometidos são os músculos, ossos, cartilagens e tendões, podendo também acometer os vasos sanguíneos.

A nomenclatura dos sarcomas é definida de acordo com o local de origem, por exemplo, os de origem no tecido adiposo, de gordura, são denominadas lipossarcomas, os de músculo estriados recebem o nome de rabdomiossarcoma, que é o tipo mais comum em partes moles nas crianças.

Alguns dos principais tipos de sarcoma são: os lipossarcomas; os fibrossarcoma; os sarcoma de partes moles alveolar; angiossarcoma; sarcoma de células claras; sarcoma epitelioide; mesenquimoma maligno; tumores dos nervos periféricos malignos; rabdomiossarcoma; sarcoma sinovial; sarcoma pleomórfico indiferenciado, entre vários outros.

O sarcoma de Kaposi é um tipo particular da doença, que acomete principalmente pacientes com imunodeficiência. Cada um dos tipos é caracterizado com diagnóstico, tratamento e prognóstico diferentes.

O sarcoma de Ewing atinge os ossos da pelve, tórax e coxas, particularmente ossos longos como o fêmur e úmero e acomete mais adolescentes. As causam desse tipo de sarcoma também não são claras, porém, mutações genéticas que ocorrem após o nascimento, são associadas.

Dentre os tipos de sarcoma, os mais comuns são os de partes moles que incluem músculos, células de gordura, cartilagens, tendões e nervos periféricos que em geral acomete mais os adultos e o tipo ósseo, que apresenta maior frequência em crianças. Em sua maioria, os sarcomas ocorrem nas extremidades do corpo, como nas pernas e braços.

Como trata-se de uma doença heterogênea, não existem fatores de risco definidos, porém, existem algumas síndromes genéticas que podem estar associadas a maior predisposição do desenvolvimento em alguns casos. A radioterapia e a exposição a algumas substancias químicas também podem aumentar as chances de desenvolvimento da doença.

Sintomas

Não existem sintomas específicos descritos para o sarcoma, em geral, nota-se um caroço, ou nódulos crescendo no local afetado, dores no joelho e coluna, dor abdominal. Outros sintomas como sangue nas fezes ou vômitos e fezes escuras também podem surgir.

Diagnóstico

O diagnóstico médico é realizado a partir da avaliação física dos sintomas do paciente. São indicados exames de imagem como a ressonância magnética nuclear e a tomografia computadorizada. A confirmação do diagnóstico é realizada pela biópsia.

Como não possuem sintomas específicos, os sarcomas acabam recendo um diagnóstico tardio, o que dificulta as chances de sucesso no tratamento.

Tratamento

A principal indicação terapêutica para os sarcomas é a cirurgia, que apresenta maiores chances de cura. O tratamento depende da localização e estadiamento do tumor e ainda se existem metástases. Tratamentos sistêmicos, que são voltados para o corpo todo, também são indicados, como a quimioterapia. Ou ainda, tratamentos locais, como a radioterapia. A quimioterapia e radioterapia podem ainda ser combinadas em casos onde o tumor é grande, no intuito de diminuir a lesão para a retirada cirúrgica.

O tratamento de terapias alvo também vem sendo aplicado, com o uso de novas drogas alvo moleculares, que ao invés de atacar todas as células, são focadas apenas nas células cancerígenas, e apresentam a vantagem de não danificar as células boas do corpo.

Prevenção

Como os sarcomas são de origem inespecífica, é difícil definir estratégias de prevenção da doença. A melhor medida é realizar os check-ups regularmente e ao menor sinal no corpo, procurar o especialista. Algumas medidas, no entanto, podem auxiliar como evitar a exposição a radiações e produtos químicos.

Fontes:

https://www.grupooncoclinicas.com/sobre-o-cancer/tipos-de-cancer/outros/sarcoma/

https://www.bp.org.br/centros-de-especialidades/oncologia/doencas/sarcoma

https://www.hospitalsiriolibanes.org.br/hospital/especialidades/centro-oncologia/sarcomas/Paginas/diagnosticos.aspx

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.

Arquivado em: Câncer