Tumor cerebral

Graduação em Biologia (CUFSA, 2010)
Especialização/MBA em Análises Clínicas (Uninove, 2012)

A definição de tumor é dada como uma massa, que pode ocorrer a partir de uma proliferação descontrolada de células, denominada neoplasia, que pode ser benigna ou maligna. Em casos malignos, chamamos de câncer. A definição de tumores cerebrais compreende as neoplasias do encéfalo, das meninges cerebrais e dos nervos intracranianos. Os tumores cerebrais representam 2% dos casos de câncer no Brasil, são raros os casos desse tipo de tumor, porém, mesmo quando se trata de um tumor benigno, a sobrevida dos pacientes é baixa. Trata-se de tumores agressivos que apresentam alta taxa de mortalidade. Os idosos são os mais acometidos. Apesar de a definição de benigno e maligno ser extremamente importante em relação a definição terapêutica, nos casos de tumores cerebrais, essa classificação não possui tanta importância, isso por que cérebro é o nosso órgão central.

O tipo mais frequente de tumor cerebral é o Glioma, que se origina a partir de células do encéfalo.

Existem diferentes tipos de tumores cerebrais, que são nomeados a partir da localização e da célula de origem.

Os Gliomas representam mais da metade dos casos de tumor cerebral, tem incidência tanto benigna quanto maligna e sua origem é partir de células do encéfalo. Glioma é a denominação genérica que inclui astrocitomas, oligodendrogliomas e ependimomas. Os outros tipos incluem os meningeomas, que tem origem nas meninges e são em sua maioria benignos, com alta taxa de prevalência entre os tumores cerebrais; meduloblastomas, que têm origem em neurônios; gangliogliomas que atingem os neurônios e as células da glia; e schwannomas ou neurilemomas, que tem origem nas células de Schwann, produtoras de mielina.

Sintomas

Os sintomas podem variar de acordo com a localização e o tipo de tumor, entre os principais sintomas estão incluídos: dor de cabeça, alterações na visão, alterações na audição, alterações na fala, alterações da libido, enfraquecimento da força muscular, fraqueza, alterações na audição, tonturas, desequilíbrio, desmaios, convulsões, náuseas e vômitos e alterações do estado mental, causando confusão, perda de memória.

Diagnóstico

O diagnóstico do tumor cerebral costuma ser tardio, isso porque o paciente procura ajuda medica após um longo período do início dos sintomas.

A princípio são realizados exames físicos e neurológicos que buscam avaliar os reflexos, força muscular e coordenação do paciente. Em seguida, exames de imagem como a ressonância magnética nuclear, sendo o exame mais utilizado para o diagnóstico e tomografia computadorizada, são realizados para confirmar o diagnóstico. Os exames de imagem conseguem detectar a maioria dos casos. Ainda são indicados a angiografia e a punção lombar, que implicam na retirada de líquido cefalorraquiano, para a detecção de células cancerígenas.

Os tumores cerebrais podem ser primários ou secundários, quando a origem do tumor veio de outro órgão, nesses casos exames de radiografia do tórax são indicados.

Como em todos os casos de tumores, a biópsia é indicada para a confirmação do diagnóstico, já que é o único exame que permite o diagnóstico definitivo, e possibilita a análise do tipo histológico do tumor, além da sua agressividade ambos importantes para a definição terapêutica.

Tratamento

O tratamento é indicado de acordo com tipo de tumor, o estágio da doença e sua a localização. Em geral, a cirurgia, a quimioterapia e a radioterapia são a medidas utilizadas para o combate da doença. São prescritas também a terapia alvo. Nos casos onde a cirurgia é indicada, o cirurgião procura remover o máximo do tumor, preservando as funções básicas do cérebro. O processo cirúrgico pode deixar sequelas importantes no paciente.

Infelizmente, a maioria dos casos de tumor cerebral não tem cura, apesar de existir tratamento, esse ainda não avançou como em outros tipos de câncer. A sobrevida dos pacientes é baixa, com um prognóstico ruim.

Quanto antes o diagnostico for realizado, maiores as chances de tratamento. Como os tumores cerebrais podem ter origem em outros órgãos e se espalhar, é necessário encontrar o local de origem, para trata-lo. Os casos de metástase são frequentes, e dificultam o tratamento e as chances de cura do paciente.

Leia também:

Fontes:

https://www.hospitalinfantilsabara.org.br/sintomas-doencas-tratamentos/tumor-cerebral/

https://www.accamargo.org.br/tipos-de-cancer/cerebro

https://www.hospitalsiriolibanes.org.br/hospital/especialidades/centro-oncologia/cerebral/Paginas/diagnosticos.aspx

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.

Arquivado em: Câncer, Neoplasias