Água virtual

Especialista em Geografia do Brasil (Faculdades Integradas de Jacarepaguá, RJ)
Mestre em Educação (Estácio de Sá, 2016)
Graduado em Geografia (Simonsen, 2010)

A água virtual é a quantidade de água utilizada na produção dos diversos produtos que consumimos diariamente. Não significa que determinado produto possui um reservatório com essa água armazenada dentro dele e sim que essa água precisar ser gasta na produção daquele produto.

O campeão no consumo de água para a produção é a agropecuária, especialmente a pecuária, sendo talvez um dos argumentos mais utilizados nos meios ambientalistas a necessidade de redução do consumo da carne e outros insumos da pecuária para reduzir o impacto ambiental causado por esse enorme consumo de água. Tal argumento é muitas vezes levado a suas mais elevadas consequências por grupos vegetarianos e veganos que pregam a abstenção do consumo de carne (e outros insumos de origem animal, no caso de vegetarianos estritos e veganos), entre outros motivos, visando o fim da produção pecuária e consequentemente o fim dos danos ambientais causados pela mesma.

É fácil entender sobre a maior presença de água virtual na pecuária do que na agricultura, basta pensarmos que para criarmos animais é necessário alimentar esses animais com vegetais e/ou outros animais (que por sua vez vão precisar ser alimentados por vegetais), então a pecuária possui a água virtual da agricultura (pois os vegetais que alimentarão os animais precisam ser plantados) e somados com o seu próprio consumo de água (afinal, os animais não apenas comem, mas também bebem água, considerando ainda a eventual poluição de rios e lençóis freáticos com rejeitos da produção).

Porém, a água virtual não está apenas no setor primário da economia (agropecuária e extrativismo). Também está presente nos insumos industriais que gastam água em sua produção. Alguns produtos industriais dependem de um gasto de água não apenas na composição do produto em si, mas nas lavagens, refrigeração e etc, sem falar na poluição das águas causada pelas indústrias das mais diversas. A indústria é quem mais gasta água na produção de seus bens, logo após a agropecuária.

Por conta do mercado internacional, muitas vezes um país consome abundantemente a água de outro, especialmente se consideramos a água virtual. Países que exportam insumos agropecuários, como o Brasil que tem destacada presença nesse mercado no mundo (especialmente com a exportação de carne), são grandes exportadores de água virtual. Não sendo coincidência que países abundantes em água também sejam países que exportam água virtual em seus produtos, o que pode ter que ser repensado quando a água doce e potável começa a ser um bem cada vez mais escasso no mundo.

As atuais necessidades ambientais, bem como aquelas que estão para se impor em um futuro não tão distante, exigem a reformulação de processos e o consumo consciente como meios de reduzir o desperdício de água, especialmente na forma de água virtual. O desenvolvimento de tecnologias menos poluentes, a redução ou abstenção de certos produtos com elevado percentual de água virtual, a redução do desperdício, são formas de buscar um uso mais racional da água. Devemos lembrar que sem a água a vida humana é impossível e sem ela nada pode ser produzido, portanto é com urgência que precisamos repensar a forma como consumimos água em nossos dias.

Referências:

https://www.greenme.com.br/consumir/consumo-consciente/5042-agua-virtual

http://planetativo.com/2010/2013/03/o-que-e-agua-virtual/

http://www.dw.com/pt-br/brasil-%C3%A9-o-maior-exportador-de-%C3%A1gua-virtual-para-a-alemanha/a-4539260

http://veggo.co/se-voce-se-preocupa-com-a-fome-mundial-a-falta-dagua-e-a-violencia-clique-aqui/

http://www.mimiveg.com.br/consumo-de-carne-e-a-falta-de-agua-no-mundo/

Arquivado em: Ecologia