Indústrias de Bens de Consumo

As indústrias de bens de consumo apresentam atividades relacionadas aos produtos direcionados para indivíduos e famílias, ou seja, os consumidores finais e os shoppers, que adquirem um produto para terceiros: uma mãe que compra papinha para o bebê.

Ao contrário do segmento pesado, que atua com indústrias e fabricantes, os materiais manufaturados pelas indústrias de bens de consumo têm por objetivo a comercialização direta aos compradores, para sua utilização, pronto consumo dos materiais ou indicação para outras pessoas. Geralmente, as companhias desse segmento atuam no setor de eletrônicos, automóveis, bebidas, roupas, produtos embalados e alimentos.

Mercados e lojas são alguns dos locais de venda de produtos da indústria de bens de consumo. Foto: Sorbis / Shutterstock.com

Bens de consumo duráveis e não duráveis

Duas categorias dividem os bens de consumo, as de produtos duráveis e não duráveis. Por apresentar diversas facetas em sua atuação, a indústria de bens de consumo produz materiais variados que podem ser considerados como itens de primeira necessidade como os alimentos ou os rotulados como artigos de luxo como os automóveis. Geralmente o crescimento deste setor ocorre paralelamente ao aquecimento da economia pois, quanto maior a demanda por consumo, mais se desenvolvem os produtos ao consumidor final.

Para sobreviver em meio à competitividade do mercado, as empresas que formam o setor de bens de consumo precisam destacar-se a partir da publicidade referente às marcas. Isso ocorre porque o bom ou o mau desempenho neste segmento depende do comportamento dos consumidores. Assim, o investimento nas companhias desta área geralmente tem boa parte direcionada ao desenvolvimento de inovações que possam chamar a atenção. Uma indústria de alimentos pode investir na diversificação dos sabores de seus produtos, assim como empresas de vestuário tem a necessidade de criar novos estilos e tendências. Desta forma, amplia-se o índice de vendas, que é o principal alicerce do segmento.

Entre o final dos anos 1990 e início do século XXI, a internet impactou consideravelmente a indústria de bens de consumo. Com o avanço constante desta tecnologia, as fases de comercialização, vendas, distribuição e fabricação passaram por um fenômeno de adaptação que envolveu todos os profissionais das empresas em um processo de constante atualização e aprendizado.

O segmento de indústrias de bens de consumo apresenta uma gama ampla de serviços. Praticamente tudo que o consumidor final adquire e utiliza se enquadra neste setor. Assim, o entendimento de suas particularidades e de que maneira isso afeta o desempenho da área é de suma importância. Entre os bens não duráveis, alguns integram o grupo dos considerados bens de consumo rápido, o que gera uma infinidade de variáveis relacionadas ao alto volume de vendas, giro rápido de estoque e vida útil curta, como ocorre com os alimentos. No que se refere aos bens de consumo duráveis, o setor atua com eletrodomésticos e carros.

Setores de branding e marketing

A diferenciação entre as marcas, as características que colocam um produto em relevância no mercado, o desenvolvimento da identidade visual, entre outros aspectos, são fatores relevantes no que se refere às empresas de bens de consumo. É um setor com produtos muito parecidos e, portanto, a concorrência torna-se maior. Assim, a diferenciação e a identidade são essenciais para o bom desenvolvimento de companhias deste setor.

Avanço tecnológico

O constante avanço de soluções tecnológicas tem sido uma discussão central no que se refere ao setor de bens de consumo. A velocidade da tecnologia afetou sobremaneira o desenvolvimento de produtos, o marketing e as cadeias de suprimentos. Interconectadas e capazes de proporcionar eficiência nas operações, as cadeias de suprimentos recebem investimentos constantes. Em outro aspecto, ao fazer uso da tecnologia, unindo técnica e criatividade, empresas envolvem-se de forma cada vez mais direta com os consumidores e por consequência aumentam seus índices de venda.

Na Era Digital, o diálogo entre empresas e consumidores finais não ocorre mais somente em um via, as opiniões a respeito de uma marca ou serviço podem ser cruciais no desenvolvimento ou refreamento de uma empresa. Portanto, o feedback contínuo, interoperabilidade e conectividade no setor de bens de consumo tornaram-se muito importantes para companhias da área.

Leia também:

Arquivado em: Economia, Indústria