Prospecção de petróleo

Especialista (MBA) em Gestão da Qualidade Total (UFF, 2013)
Graduada em Química, Tecnóloga (Unigranrio, 2011)
Graduada em Ciências Biológicas (Unigranrio, 2006)

A prospecção de petróleo é uma das etapas que antecedem sua exploração. As realizações de vários estudos são necessárias, com o objetivo de identificar se em uma determinada região contém ou não acumulação proveitosa do combustível fóssil, e assim avançar na sua exploração.

Existem vários estudos para a determinação das condições auspiciosas do óleo bruto e do gás natural, que podem ser geofísicos ou geológicos. Na área da geofísica podem ser realizados métodos elétricos, gravimétricos, sônicos, sísmicos, magnéticos, de imagem e ressonância, que oferecem dados específicos e de qualidade. Esses métodos são responsáveis pela detecção da presença, posição e organização das estruturas geológicas em subsuperfície.

O estudo sísmico é a metodologia mais utilizada e consiste na análise por refração ou na análise por reflexão. Essa metodologia irá depender do objeto de estudo. Caso seja realizado no mar (offshore), são utilizados canhões de ar comprimido e o som constatado por hidrofones. Em terra (onshore), o estudo é realizado por meio de dinamite ou canhões de vibração, e o som detectado por meio de geofones. No Brasil, o estudo sísmico apresentou-se como o precursor essencial nos estudos offshore, principalmente durante a exploração do pré-sal.

As novas tecnologias como o uso de satélites, os sistemas de posicionamento, estudos sísmicos tridimensionais (3D) e de quatro dimensões (4D), fornecem informações mais precisas e em tempo real. Essas técnicas auxiliam na diminuição do impacto ambiental e em uma maior eficiência durante a perfuração de um poço, visto que as técnicas sísmicas utilizadas nas prospecções offshore podem prejudicar os animais marinhos, principalmente os mamíferos.

Os estudos geológicos são responsáveis pela identificação da estrutura, textura, matéria e alterações da crosta terrestre. Os mapas geológicos são os resultados dessas investigações. Uma vez que o petróleo é encontrado em bacias sedimentares, os estudos geológicos avaliam as rochas reservatórios, o reservatório, o selo (rocha selante com baixa permeabilidade), o trapa (“aprisionam” o petróleo após a sua formação), o tempo, a maturação e a sua migração.

A análise da rocha fonte é essencial para verificar a presença de material orgânico. É realizada através de estudos de estratigrafia, paleogeografia e sedimentologia. A análise do reservatório é importante para examinar as características do material, principalmente a permeabilidade da rocha e a sua porosidade, que são características importantes para a exploração.

Os estudos geoquímicos complementam a prospecção, identificando com base na composição química das águas, a presença de gases e de matéria orgânica dissolvidos. Quanto maior as suas concentrações, mais próximo da jazida se encontra.

As várias metodologias que auxiliam na prospecção de petróleo podem aumentar a confiabilidade da perfuração. No entanto, a confirmação das reservas só é possível com a perfuração do poço. Desse modo, a prospecção é uma forma de diminuir as falhas e as incertezas durante as explorações dos poços, e assim, diminuindo os poços exploratórios e garantindo menor impacto ambiental.

Fontes:

http://www.uff.br/geofisica/index.php/geofisica-de-petroleo

http://www.galpenergia.com

https://petrogasnews.wordpress.com/2011/03/14/geologia-do-petroleo/

http://www.gazprominfo.com/articles/prospecting/

https://www.eia.gov/energyexplained/index.cfm?page=oil_environment

http://geofisicabrasil.com/http://geofisicabrasil.com/quero-ser-geofisico/oquee/93-primpassos/60-metodos-utilizados.html

Arquivado em: Economia