Neônio

É conhecido pelo nome de Neônio ou ainda Neon, um elemento químico classificado como gás nobre. Membro da família 8A, seu símbolo é Ne, e o número atômico é o 10 (10 prótons e 10 elétrons) e possui o peso atômico 20,183u. É considerado o segundo gás nobre mais leve, e seu nome tem origem no termo grego néos, que significa "novo". O neônio natural é uma mistura de três isótopos estáveis: Neônio-20 (90,02%), Ne-21 (0,26%) e Ne-22 (8,82%) e existe em uma quantidade muito pequena na atmosfera (18,18 ppm/volume).

Quanto às suas características, o neônio apresenta-se como um gás monoatômico incolor, inodoro, inerte, não-inflamável e não-tóxico, presente em pequena quantidade no ar atmosférico, sendo que no ar seco representa apenas 0,0015% do volume, e no interior das rochas da crosta terrestre. A diferença entre seus pontos de fusão e de ebulição é de pouco mais de 2,5º C (-248,67º C e -246,048º C, respectivamente). O neônio está presente na atmosfera na proporção de aproximadamente 1 parte para 65000 partes de ar. Para isolá-lo é preciso submeter o ar liquefeito a uma destilação fracionada, e há dúvidas se pode formar algum composto instável com o flúor.

Em 1898 Sir William Ramsay e Morris W. Travers descobriram um novo elemento na primeira fração da destilação do argônio líquido, como um componente de fração volátil do argônio cru liquefeito. A este novo elemento foi dado o nome de neônio.

F.W. Aston, demonstrou posteriormente que o neônio era uma mistura de dois isótopos 20Ne e 22Ne. Com esta experiência, ele foi o primeiro a aplicar o conceito de isótopo a elementos não-radioativos.

O gás neônio passou a ser amplamente conhecido após a descoberta de uma peculiar propriedade, a de emitir uma luz brilhante de diferentes tonalidades ao ser atravessado por uma corrente elétrica sob baixas pressões. Tal propriedade foi logo empregada nos conhecidos letreiros de neônio e em algumas lâmpadas fluorescentes. Nas grandes cidades, são comuns os outdoors luminosos usados para anúncios publicitários, além de ser bastante comercializado como gás comprimido em cilindros de aço e também em frascos de vidro de um litro na pressão atmosférica.

Destacam-se ainda outros usos do gás, nomeadamente, no preenchimento de lâmpadas, tubos eletrônicos, estudos de plasma, em válvulas para raios-X (misturado com argônio), refrigeração criogênica, lança-chamas, tubos Geiger-Mueller, preenchimento em alguns lasers de vapores metálicos, lasers de hélio e néon, gás de detectores de íons para laboratórios, e líquido criogênico para sensores ultra-sensíveis de infravermelho.

Bibliografia:
Neônio. Disponível em: <http://www.tabela.oxigenio.com/gases_nobres/elemento_quimico_neonio.htm>. Acesso em: 30 ago. 2012.
Neônio. Disponível em: <http://www2.fc.unesp.br/lvq/LVQ_tabela/010_neonio.html>. Acesso em: 30 ago. 2012.
Neônio. Disponível em: <http://www.gamagases.com.br/propriedades_neonio.htm>. Acesso em: 30 ago. 2012
Neônio - Ne. Disponível em: <http://www.mspc.eng.br/quim1/quim1_010.asp>. Acesso em: 30 ago. 2012.

Arquivado em: Elementos Químicos