Agatha Christie

Doutorado em Letras - Literatura e Língua Portuguesa (PUC-Rio, 2013)
Mestrado em Linguística, Letras e Artes (PUC-Rio, 2008)
Graduação em Jornalismo (PUC-Rio, 2001)

Agatha Mary Clarissa Miller nasceu em Torquay, no Condado de Devonshire, Grã-Bretanha, em 15 de setembro de 1890, filha do americano Frederick Miller e da inglesa Clara. De origem abastada, Agatha inicia seus estudos na residência da família com professores particulares, nos quais aprende canto e piano. Sua principal distração é a redação de contos e poemas.

Em 1914, casa-se com o Coronel inglês Archibald Christie, de quem adota o sobrenome, um aviador da Força Aérea britânica, de quem se divorciaria 12 anos depois, em 1926. Do matrimônio, nasce sua única filha, Rosalind.

Agatha Christie. Foto via Wikimedia Commons.

No decorrer da Primeira Guerra Mundial (1914-18), Agatha Christie trabalha como farmacêutica, adquirindo considerável conhecimento sobre fórmulas químicas, que seria, posteriormente, utilizado em sua obra ficcional.

Em 1917, sua irmã Madge a desafia a criar uma trama policial. Da brincadeira, nasce o primeiro livro da autora, O Misterioso Caso de Styles, publicado três anos depois. A trama marca o aparecimento do seu personagem mais célebre o detetive belga Hercule Poirot, que retornaria outras 32 vezes em obras posteriores.

A consagração viria em 1926, com a publicação de O Assassinato de Roger Ackroyd. No mesmo ano, por desejo do marido, ocorre o divórcio da autora, que, logo depois, desaparece, sendo encontrada apenas após 11 dias e gerando especulações sobre um pretenso propósito comercial no ato, que resultaria em uma forma de vender mais livros.

Quatro anos depois, em 1930, casa-se em segundas núpcias com o arqueólogo Max Mallowan, que havia conhecido pouco antes em uma viagem pela Mesopotâmia. Em companhia do marido, integra diversas expedições arqueológicas pelo Oriente Médio, onde reúne a inspiração para os livros Assassinato no Expresso do Oriente (1934), Morte na Mesopotâmia (1936), Morte no Nilo (1937) e Aventura em Bagdá (1951).

No mesmo ano do segundo casamento, publica o primeiro romance protagonizado por sua segunda personagem mais famosa, a sagaz personagem Miss Marple, O Assassinato na Casa do Pastor. A personagem, inspirada na avó da autora, é uma destemida idosa que tenta a sorte como detetive, reaparecendo mais 11 vezes em livros posteriores.

Em 1934, é publicado o seu romance mais famoso: Assassinato no Expresso do Oriente, adaptado, posteriormente, para o cinema com grande êxito. Sua extensa produção literária no período consolida seu prestígio junto ao público, transformando-a em constante autora de best sellers.

Sua estreia na dramaturgia ocorre em 1952, em Londres, com a estreia da peça A Ratoeira. O espetáculo atinge tamanho sucesso ao ponto de tornar-se, considerando toda a história da produção teatral, o recordista de tempo em cartaz.

Em 1971, recebe a mais alta condecoração do Reino Unido, o título de “Dame” que passa a incorporar a seu nome.

Cinco anos depois, em 12 de janeiro de 1976, falece, aos 86 anos, em decorrência de uma pneumonia. Em mais de 50 anos carreira, Agatha Christie escreveu 79 romances e livros de contos, além de doze peças de teatro e seis romances românticos, com o pseudônimo de Mary Westmacott.

Arquivado em: Biografias, Escritores