Tromba d'água

Mestre em Educação, Comunicação e Tecnologia (UDESC, 2016)
Graduada em Geografia (UDESC, 2014)

Uma tromba d’água é um fenômeno meteorológico que consiste na formação de uma coluna giratória composta por grande quantidade de vapor e água, em nuvens espessas que se movem, formando um cone cuja base é voltada para o alto. O funil é visível em virtude das nuvens de vapor de água condensadas.

As trombas d’água podem assumir muitas formas e frequentemente ocorrem em séries ou famílias e são mais comuns em áreas litorâneas e sobre águas tropicais e subtropicais, contudo, também ocorrem em locais de clima temperado como em alguns lugares da Europa ou Grandes Lagos da América do Norte.

Tromba d'água. Foto: NOAA

Uma tromba d’água pode ser classificada como tornádica e não-tornádica (ou de tempo ameno).

As trombas d’água tornádicas são mais raras e são semelhantes a um tornado, inclusive na sua formação, partindo da nuvem até tocar a superfície. Assim, a principal diferença em relação aos tornados é a de que as trombas d’água se formam ou passam por sobre a água, enquanto que os tornados são terrestres. Em termos de intensidade, as trombas d’água tornádicas também se assemelham aos tornados terrestres, entretanto, o potencial de destruição é, em geral, mais baixo. Os principais riscos são relacionados a embarcações, aeronaves, banhistas e infraestruturas costeiras.

As trombas d’água não-tornádicas, por sua vez, são mais comuns do que as tornádicas e não estão associados a tempestades, tendo em vista que se formam mesmo em condições de vento leve, de modo que normalmente se movem muito pouco e possuem curta duração.

Em geral, entende-se que existem cinco fases no ciclo de vida de uma tromba d’água, as quais estão elencadas a seguir:

  • Mancha escura: um disco proeminente circular e de cor clara aparece na superfície da água, cercado por uma área escura maior de forma indeterminada e com bordas difusas.
  • Padrão circular: sobre a água surge um padrão circular alternado entre bandas de cor clara e escura.
  • Anel de pulverização: um anel denso de spray de água, chamado de cascata, aparece ao redor do ponto escuro, semelhante ao olho de um furacão, ainda que em menor proporção.
  • Vórtice maduro: a tromba d’água, agora visível desde a superfície da água até a nuvem, atinge a máxima organização e intensidade. Seu funil geralmente aparece vazio, com uma camada circundante densa e turbulenta. O vórtice de pulverização pode se elevar a uma altura de centenas de metros e muitas vezes cria um ciclo de ondulações na água à medida que ele se move.
  • Decaimento: o funil e o vórtice de pulverização começam a se dissipar à medida que o fluxo de ar quente no vórtice enfraquece.

No Brasil, embora existam registros de trombas d’água em diferentes estados, como Pará, Santa Catarina e Maranhão, o impacto e os prejuízos gerados por este fenômeno são pequenos, tendo em vista que costumam de dissipar antes mesmo de tocar a terra.

Referencial Bibliográfico:

NOAA. What is a waterspout?. Disponível em: <https://oceanservice.noaa.gov/facts/waterspout.html>. Acesso em: 24 dez. 2017.

IBGE. Vocabulário básico de recursos naturais e meio ambiente. 2. ed. Rio de Janeiro: IBGE, 2004. 344p.