Ferrótipo ou Tintipo

O ferrótipo ou tintipo é um processo fotográfico dentro da técnica do colódio úmido.

Desenvolvida por Frederick Scott Archer, a técnica do colódio úmido consistia no uso de uma mistura de algodão, pólvora e éter, chamada colódio, para aderir os sais de prata fotossensíveis à chapa de vidro para a produção da imagem fotográfica. Archer desenvolveu a técnica do colódio úmido por conta de sua insatisfação com a qualidade das imagens produzidas pelos negativos de papel fibrosos do daguerreótipo.

Havia duas variações no processo do colódio úmido: o ambrótipo e o ferrótipo ou tintipo. O ferrótipo produzia cópias fotográficas mais rapidamente que o ambrótipo.

O processo do ferrótipo era formado por um negativo de chapa úmida de colódio com um fundo escuro para a formação do positivo, e como suporte do colódio era usada uma folha de metal pintada de preto ou marrom escuro.

O ferrótipo adquiriu grande popularidade entre os fotógrafos norte-americanos a partir de 1860, e por conta disto começaram a aparecer fotógrafos nas praças públicas fotografando crianças, famílias e recém-casados. Esta popularidade se deveu ao baixo custo dos materiais empregados no processo e na rapidez com que ocorria o processo químico por conta dos novos materiais que passaram a ser utilizados.

Fontes:
http://www.kodak.com/BR/pt/consumer/fotografia_digital_classica/para_uma_boa_foto/historia_fotografia/historia_da_fotografia07.shtml?primeiro=1

Arquivado em: Fotografia