Tipos de maçãs

Mestre em Ecologia e Recursos Naturais (UFSCAR, 2019)
Bacharel em Ciências Biológicas (UNIFESP, 2015)

Ouça este artigo:

A maçã é o fruto de uma árvore originaria da Ásia pertencente ao gênero Malus. Quando cultivada a partir da semente, estas árvores atingem grandes tamanhos e demoram mais tempo para produzir os frutos. Por esta razão, os agricultores utilizam a técnica de propagação, onde fazem o replantio de enxertos de árvores adultas em estruturas de suporte. Por isso pomares de macieiras geralmente são compostos por árvores relativamente baixas e pequenas que produzem frutos com maior frequência.

Sendo mundialmente popular e a fruta mais consumida de todas, a maçã é cultivada globalmente acumulando mais de 80 milhões de toneladas por ano. A China é a maior produtora de maçãs, com uma produção dez vezes maior que o segundo lugar, os Estados Unidos. Um ditado popular inglês comum diz que “o consumo de uma maçã por dia mantém o médico longe” (an apple a day keeps the doctor away). Cientificamente, devido ao alto teor de fibras e quantidade elevada de água na polpa, as maçãs ajudam a reduzir o colesterol e beneficiam o processo de digestão. Por conter muitos flavonoides (como a quercetina) e fenóis, as maçãs também podem reduzir ou retardar o desenvolvimento de doenças como demência e Alzheimer.

Os tipos de maçãs mais disponíveis no mercado brasileiro são a gala, a red (também conhecida como Argentina), a fuji e a maçã verde.

Maçã gala

A maçã gala é relativamente doce e um pouco ácida, de casca vermelho-amarelada. Contem muita agua na polpa, o que favorece seu uso em sucos e shakes de frutas. Utilizada em alguns pratos agridoces, como saladas e molhos, também serve para receitas de tortas e bolos.

Maçã gala. Foto: Couleur / Pixabay

Maçã fuji

Maçã fuji. Foto: pixamart / Pixabay

A maçã fuji é maior que a gala, e juntas elas representam mais de 90% de toda a produção nacional de maçãs. Sua polpa é mais firme e rígida que a gala, o que favorece sua armazenagem e permite um intervalo de consumo mais longo. Sua casca é vermelha com sinais esverdeados, um traço característico que permite distingui-la das demais. Menos calórica que outros tipos de maçãs, a fuji é considerada boa para o uso em geleias, compotas, preparo de sidra (bebida alcoólica fermentada), recheios de sobremesas e receitas cozidas.

Maçã red

Maçã red. Foto: elljay / Pixabay

Amplamente cultivada na Europa e Argentina, a maçã red recebe esse nome por sua casca brilhante e de um vermelho intenso. Sua casca possui um certo sabor amargo, mas a polpa e adocicada e farinhenta, ideal para quem não gosta das variedades de maçãs mais duras ou com maior teor de água. Embora muitas pessoas consumam estas frutas cruas, é um habito comum descasca-las. Entretanto, nutricionistas indicam que muitas das propriedades antioxidantes e uma parcela considerável das fibras das maçãs estão contidas nas cascas. Assim, para aproveitar todo o potencial nutricional de uma maçã recomenda-se consumi-la por completo. Para higieniza-las corretamente podem ser usados detergente ou água sanitária seguido de um enxague generoso em água corrente.

Maçã verde

Finalmente, a mais exótica e cara das maçãs consumidas no Brasil é a variedade que apresenta a casca completamente verde. Sua polpa é suculenta e firme e seu sabor característico levemente azedo é indicado tanto para receitas salgadas quanto doces.

Maçã verde. Foto: Daxiao Productions / Shutterstock.com

Além destes quatro tipos existem algumas maçãs muito populares fora do Brasil. Como é o caso da Ambrosia, originária do Canadá. Esta variedade é grande e cônica, com uma casca rosa avermelhado e alto teor de água e açúcares. A maçã Braeburn é nativa da Nova Zelândia, mas hoje em dia já é cultivada em muitos outros países. Se destaca por sua coloração vermelho alaranjada e um sabor forte, ácido picante. Uma variedade de maçã francesa muito usada na culinária europeia é a Calville Blanc d’Hiver. Seu formato é disforme e irregular, concedendo-lhe um aspecto pouco atrativo, mas seu sabor é realçado em pratos cozidos, como bolos e tortas. Por fim, dos Estados Unidos, temos uma das maçãs mais escuras de todas, a Arkansas Black. Sua casca de cor vinho fica mais escura ao longo do processo de maturação do fruto, que é saboroso e um pouco azedo.

Referências:

Maia, G.B.D.S. and Roitman, F.B., 2010. Fruticultura: a produção de maçã no Brasil.

Miorelli, T.D. and Battiston, F.G., 2011. Efeitos do consumo de maçã (Malus Domestica Cultivar Fuji) na redução dos níveis séricos de colesterol e triglicerídeos em ratos tratados com dieta hipercalórica. Unoesc & Ciência–ACBS2, pp.39-48.

Arquivado em: Frutas