Cratera de impacto

Licenciada em Geografia (UFG, 2003)

Cratera de impacto ou astroblema é uma estrutura constituída a partir do impacto de um meteorito na superfície terrestre. Essa formação, pode apresentar dimensões de apenas alguns metros até dezenas de quilômetros de diâmetro. Esta variação está condicionada ao tamanho do meteorito e a velocidade do impacto.

Astroblema é uma palavra derivada de dois radicais gregos astron, que significa “astro” e blema, que quer dizer “cicatriz”. Uma cratera de impacto é justamente isso, uma cicatriz marcada na litosfera ocasionada pela colisão de um astro (asteroide, meteorito ou cometa).

Na atualidade são conhecidas e estudadas cerca de 160 crateras de impacto no planeta Terra. A mais conhecida das crateras de impacto, em razão da história de pesquisas, está situada no estado do Arizona, nos Estados Unidos da América. Possui um diâmetro de 1200 metros e alcança 170 metros de profundidade. A depressão ali formada está circundada por blocos rochosos distribuídos de maneira caótica, alguns chegando a pesar 20 toneladas. No fundo da cratera, no entanto, as rochas estão dispostas de forma horizontal ou plana.

Cratera de impacto em Winslow, Arizona, EUA. Foto: Nikolas_jkd / iStock.com

Embora diversas sondagens tenham sido realizadas no local, além de estudos geofísicos, não foi encontrado nenhum vestígio de material residual do meteorito. Porém, os cientistas acreditam que é natural que não tenham localizado tais vestígios, uma vez que a energia e o calor resultante do atrito provocado pelo impacto, foi suficiente para que ocorresse a desintegração de quase toda a massa do meteoro.

A morfologia e a estrutura da cratera de impacto de meteorito permitem distingui-la da cratera resultante de explosão vulcânica. O estudo da superfície da Lua, que, como se sabe, possui visíveis e bem delimitadas crateras de impacto, tem contribuído para compreender em detalhes essas estruturas no nosso planeta.

A superfície lunar possui milhares de crateras de impacto, pois o satélite não possui atmosfera. A ausência de atmosfera faz com que qualquer meteorito, por menor que seja, atinja a superfície. Isso não ocorre na Terra, pois apenas meteoritos de tamanho considerável conseguem chegar à superfície sem terem sido completamente desintegrados ao passarem pela atmosfera. Foto: NASA.

Metamorfismo de impacto

A cratera de impacto é um tipo de estrutura que apresenta em seu interior, rochas profundamente modificadas pelo metamorfismo de impacto. A energia, a pressão e o calor resultantes do impacto, têm o poder de provocar a desintegração do meteorito e de fundir as rochas do local atingido, em alguns instantes. Os minerais da região impactada são reequilibrados instantaneamente. Em regiões como o citado Astroblema do Arizona, o impacto provocou o metamorfismo das rochas e solos ali presentes em rochas que, não fosse o evento, demorariam milhares ou milhões de anos para atingirem tal estágio.

Crateras de impacto pelo mundo

As formações a seguir estão entre as maiores crateras de impacto do mundo:

  • VredefortÁfrica do Sul – 300 km de diâmetro
  • Sudbury – Canadá – 250 km de diâmetro
  • ChicxulubMéxico – 170 km de diâmetro - causada pelo impacto de um meteoro há 66 milhões de anos, que causou a extinção de inúmeras espécies, incluindo os Dinossauros.
  • Shark BayAustrália – 120 km de diâmetro
  • PopigaiRússia – 100 km de diâmetro

Há crateras de impacto no Brasil?

A resposta é sim. No último século, pesquisadores brasileiros encontraram algumas estruturas que, ou já foram confirmadas ou estão em estudo. A mais conhecida dessas estruturas é a Cratera de Araguainha. É também a estrutura com maior diâmetro encontrada em solo brasileiro. O Domo de Araguainha, como é em geral conhecido, é a maior cratera de impacto da América do Sul, e embora bastante erodida, atrai pesquisadores do mundo todo para conhecer mais sobre essas estruturas.

Vejamos a seguir as crateras de impacto existentes no Brasil, os estados em que estão localizadas e o diâmetro da estrutura em quilômetros:

  • Araguainha – Goiás e Mato Grosso – 40 quilômetros de diâmetro
  • São Miguel do Tapuio – Piauí – 20 quilômetros de diâmetro
  • VargeãoSanta Catarina – 12 quilômetros de diâmetro
  • Piratininga – São Paulo – 12 quilômetros de diâmetro
  • Serra da CangalhaTocantins – 12 quilômetros de diâmetro
  • RiachãoMaranhão – 4 quilômetros de diâmetro
  • Colônia – São Paulo – 3,6 quilômetros de diâmetro

Fontes:

Decifrando a Terra, 2009. APA. Teixeira, W., Fairchild, T. R., Toledo, M. C. M. de, & Taioli, F. São Paulo: Companhia Editora

Crateras Meteoríticas no Brasil - CRÓSTA, AP - Instituto de Geociências, Unicamp – disponível em: http://sigep.cprm.gov.br/glossario/textos/CraterasImpactoAlvaroCrosta.pdf

Astroblema Araguainha – CPRM - http://rigeo.cprm.gov.br/xmlui/bitstream/handle/doc/17163/astroblema.pdf?sequence=1

A cidade brasileira que está no centro da maior cratera de asteroide na América do Sul – BBC Brasil - https://www.bbc.com/portuguese/brasil-46269719

Arquivado em: Geologia