Invasão japonesa da China

Mestre em História (UDESC, 2015)
Pós-graduada em Direitos Humanos (Universidade de Coimbra, 2012)
Graduada em História (UDESC, 2010)

A invasão japonesa da China em 7 de julho de 1937 deu origem à Segunda Guerra Sino-Japonesa, que durou até 9 de setembro de 1945, quando o Japão se rendeu às forças Aliadas da Segunda Guerra Mundial. O conflito que deu início à guerra é chamado de Incidente da Ponte Marco Polo e ocorreu entre tropas dos dois países nos arredores de Beijing (Pequim).

Conflitos entre China e Japão remetem ao final do século XIX, quando ocorreu a Primeira Guerra Sino-Japonesa, que terminou com a ocupação japonesa da ilha de Taiwan, em 1985. Em 1931, o Império japonês invadiu e ocupou o território chinês da Manchúria, declarando-o um Estado independente, o Manchukuo. Os japoneses mantiveram um imperador Puyi, da dinastia Qing,  no poder como seu fantoche, ou seja, servindo a seus interesses.  A Liga das Nações exigiu a retirada das forças japonesas daquele território, o que não foi atendido e resultou na saída do país da Liga em 1933.

A China estava dividida entre dois governos desde 1927, quando um governo de oposição ao comunista Mao Zedong foi formado pelo Partido Nacionalista Chinês (Kuomintang). Em 1936, Chiang Kai-Shek, líder do Kuomintang, foi feito prisioneiro em Xi’an pelas tropas de Zhang Xueliang, que tinha como objetivo conseguir trégua entre os dois lados. Assim, diante das invasões japonesas, comunistas e nacionalistas se uniram na Segunda Frente Unida a fim de combater o inimigo comum.

Os chineses contaram com ajuda de países ocidentais como Grã-Bretanha, França e Estados Unidos. A Alemanha, que em 1936 assinara o Pacto Anticomintern com o Japão, chegou a enviar ajuda à China para cumprir acordos anteriores, mas em 1938 aliou-se definitivamente com o Japão, que entraria para o Eixo Roma-Berlim em 1940. No entanto, o envolvimento de potências ocidentais no conflito era indicativo do interesse dessas na região. Sanções econômicas foram impostas aos japoneses, sobretudo pelos Estados Unidos, motivando assim o ataque japonês ao território americano de Pearl Harbor, em 1941.

Em 6 de agosto de 1945, os Estados Unidos jogaram a bomba atômica sobre a cidade japonesa de Hiroshima e, três dias depois, em Nagasaki. O imperador japonês, Hirohito, rendeu-se aos países Aliados no dia 15 do mesmo mês. A rendição japonesa à China aconteceu em 9 de setembro de 1945 com a devolução dos territórios ocupados, dentre eles a ilha de Formosa (Taiwan), sob posse japonesa desde a Primeira Guerra Sino-Japonesa.

Referências:
http://www.history.co.uk/study-topics/history-of-ww2/sino-japanese-war
http://totallyhistory.com/second-sino-japanese-war/
http://www.oxfordbibliographies.com/view/document/obo-9780199743292/obo-9780199743292-0141.xml