Quarta Revolução Industrial

Sempre abrir.

A Quarta Revolução Industrial, também conhecida como Indústria 4.0, é uma atualização das revoluções industriais anteriores. Consiste em uma alteração drástica nos meios de produção por meio da utilização de tecnologias avançadas. Internet das coisas, biologia sintética, impressoras 3D, algoritmo, 5G, nanotecnologia, big data, realidade aumentada, I.A. (Inteligência Artificial) aliada à robótica são processos que consolidam esta nova etapa industrial. Desta forma, as telecomunicações e equipamentos estão cada vez mais interligados no sentido de fazer convergir estas inovações. Assim configura-se a Quarta Revolução Industrial, que tem como uma de suas principais características a fusão entre o mundo físico e o virtual.

A partir do momento em que ocorre uma revolução industrial – das máquinas a vapor até a construção de casas com impressoras 3D – a sociedade passa por alterações radicais e que ocorrem com rapidez maior do que a sua própria capacidade de assimilação. Estas mudanças drásticas em nosso modo de vida podem ser benéficas – como o uso da tecnologia para a produção de alimentos – mas também podem trazer malefícios como a utilização destas ferramentas no sentido de destruir os meio naturais da Terra ou iniciar confrontos bélicos.

Se na Terceira Revolução Industrial a tecnologia se dava por meio de braços mecânicos que efetuavam tarefas de funcionários de fábrica, nesta nova etapa, com a I.A. aplicada à robótica, temos a utilização dos algoritmos que fazem as máquinas aprenderem conforme a atuação junto às pessoas. Ou seja, utilizando os dados da realidade, robôs e agentes podem repetir e aprimorar processos e até mesmo solucionar problemas para os seres humanos. Isso se reflete nos chamados empreendimentos inteligentes, que possuem mecanismos aptos a indicar em que locais está havendo desperdício de material, tem a capacidade de gerir suprimentos, definir as melhores práticas para determinados ambientes, entre outros aspectos.

A partir da segunda década do século XXI, tornaram-se comuns dispositivos de inteligência artificial em bots de atendimento ou robôs que orientam centrais telefônicas, além da aplicação da I.A. em estruturas automatizadas. A tecnologia proveniente da Quarta Revolução Industrial está marcada pela interconectividade. Especialistas apontam para uma substituição de ruptura em todas as práticas comuns anteriormente. Em países desenvolvidos, a I.A. se faz presente em ferramentas como veículos agrícolas, robôs, carros e drones.

Um exemplo da aplicação da Quarta Revolução Industrial em nossa vida cotidiana ocorre quando utilizamos aplicativos de celular. Muitas vezes nos surpreendemos com propagandas que refletem pesquisas que realizamos ou, por incrível que pareça, assuntos que comentamos em momentos de dispersão. Aprendemos a lidar com esta nova maneira de relacionamento referente às marcas e empresas, práticas que de tão contínuas acabam sendo naturalizadas.

Alguns tipos de equipamentos já foram introduzidos nos países em que a interação entre o mundo real e o digital está sendo introduzida com maior rapidez:

Drones

Companhias líderes no segmento de entregas online já se utilizam deste tipo de dispositivo para chegar com maior rapidez à casa dos clientes, além de conseguirem efetuar entregas e locais de difícil acesso. Também são utilizados para agilizar diversas tarefas em instalações industriais, como inspeções em locais de difícil acesso.

Drone sendo utilizado para inspeção em gerador eólico. Foto: TimSiegert-batcam / Shutterstock.com

Casas inteligentes

Com a introdução da inteligência artificial no ambiente doméstico será possível o funcionamento através do comportamento dos moradores, o que trará benefícios de ordem prática, facilitando na administração de tarefas diárias.

Geopolítica e tecnologia

A Quarta Revolução Industrial é marcada pela disputa tecnológica entre os países mais desenvolvidos do século XXI. Com a criação do 5G, tecnologia que permite uma interconectividade ampla e extremamente veloz entre equipamentos, a China deu passos largos à frente de todas as nações. Neste sentido, os Estados Unidos têm buscado desenvolver rapidamente uma tecnologia que consiga suprir os avanços da nação oriental. A Huawei, empresa chinesa que leva à frente a tecnologia 5G, está em processo de parceria com diversas nações. No entanto, trava-se uma batalha geopolítica com os EUA, que impõe restrições para os países que se aliarem à China neste projeto conjunto de crescimento tecnológico.

Leia também:

Fontes:

https://www.britannica.com/topic/The-Fourth-Industrial-Revolution-2119734

https://milvus.com.br/internet-das-coisas-iot/

http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2016/10/o-que-e-a-4a-revolucao-industrial-e-como-ela-deve-afetar-nossas-vidas.html