Emirado Islâmico do Afeganistão

Criado em 1996, o Emirado Islâmico do Afeganistão resultou do domínio talibã no Afeganistão, tendo terminado com a queda do grupo após a invasão dos Estados Unidos ao país em 2001. Mesmo no período de maior influência do Talibã no território afegão, a região nordeste, que contempla aproximadamente 10% das áreas da nação, estava sob domínio da Frente Islâmica Unida para a Salvação do Afeganistão, também conhecida pelo nome de Aliança do Norte.

emirado islamico afeganistaoDepois da invasão dos soviéticos ao Afeganistão, o país foi tomado pela desordem. Dentro deste contexto, o Talibã encontrou um ambiente favorável à implantação de seu governo. O início do domínio dos talibãs deu-se a partir dos estudantes de madrassas, que se localizavam nas áreas de Candaar e Helmand. O caráter do movimento, naquele período, era político-religioso com aspiração fundamentalista do Islã.

Do ponto de vista ideológico, os talibãs eram antimodernidade, antiocidentais, e seguiam uma mistura de ensinamentos do Islã Deobandi com códigos tribais Pashtunwali. Desta forma, seu governo era bastante restritivo e fundamentalista.

Os talibãs começaram a dominação do território a partir da região de Candaar, chegando à cidade de Cabul (capital) no ano de 1996. Entre a dominação da capital e meados do ano 2000, o Talibã tinha predominância em cerca de 90% das terras afegãs. O grupo realizou uma tentativa de imposição da Sharia, uma forma interpretativa da lei islâmica, sendo posteriormente categorizados como aliados dos mujahideen, pois abrigaram em seu território a Al-Qaeda, rede comandada por Osama bin Laden.

O Emirado Islâmico do Afeganistão teve uma duração de 5 anos. Neste período, a maioria dos cidadãos do país passou por sérias restrições no que se refere à liberdade e ocorreram diversas violações aos direitos humanos. Houve a proibição da mulher no mercado de trabalho, além da coibição referente às mulheres mais jovens, que não podiam estudar em universidades ou escolas. Os poucos que tentaram burlar as regras foram punidos severamente. Ainda durante o governo do grupo na nação, houve a erradicação dos adeptos ao comunismo implantado pelos soviéticos e ladrões tiveram seus pés e mãos amputados. Entre outras medidas, os talibãs conseguiram acabar com grande parte do mercado do ópio no país.

A derrocada do Talibã começou com as pressões do Irã, que apoiava a Frente Islâmica Unida para a Salvação do Afeganistão contra as medidas severas que os talibãs aplicavam à população naquele momento. Junto isso, em 1998, a relação com o governo iraniano deteriorou-se ainda mais após a execução de diplomatas do Irã e a invasão do consulado iraniano em Mazar-e Sharif. Endossando o declínio do Talibã, ocorreu a invasão dos Estados Unidos ao Afeganistão após os ataques a Nova York em 2001.

Fontes:
http://jihadology.net/2013/10/07/new-statement-from-the-islamic-emirate-of-afghanistan-regarding-the-13th-year-of-the-american-invasion/
http://en.wikipedia.org/wiki/Islamic_Emirate_of_Afghanistan
http://www.rawa.org/na-appeal_pr.htm
http://www.cefetsp.br/edu/eso/terrorismousa/conhecaaliancanorte.html

Arquivado em: Afeganistão, Islamismo