Ilhas Salomão

As Ilhas Salomão (Solomon Islands, em inglês) é um país independente localizado no Pacífico sul. Próximo às Salomão está a Papua Nova Guiné a oeste, Vanuatu a sudeste e Nauru a norte. A capital do país é Honiara, e a sua área total é de 27.556 km², um pouco maior que o Estado de Alagoas. A população é de 553.000 mil habitantes, sendo a esmagadora maioria de melanésios. A principal religião é o cristianismo, na maioria de rito anglicano, além de minorias católica, evangélica dos mares do sul, igreja unida metodista, e adventista do sétimo dia. Como língua oficial, o país adota o inglês, sendo que existem 120 línguas locais. A moeda é o dólar das Ilhas Salomão.

Embora pouco se saiba da pré-história das Ilhas Salomão, o material escavado em Santa Ana, Guadalcanal e Gawa indica que um povo de caçadores-coletores vivia nas ilhas maiores já em 1000 a.C. Alguns povos locais são descendentes de povos de língua austronésia do Neolítico que migraram do sudeste asiático.

O explorador espanhol Álvaro de Mendana Y Neyra foi o primeiro europeu a chegar no arquipélago, partindo do Peru em 1567 para buscar as ilhas lendárias de Salomão. Os missionários começaram a visitar as Salomão em meados de 1800. Na mesma época, o "blackbirding", recrutamento, muitas vezes brutal, de trabalhadores para as plantações de açúcar em Queensland e Fiji levou a uma série de represálias e massacres.

As atividades predatórias constantes levam o Reino Unido a declarar um protetorado sobre o sul das Ilhas Salomão em 1893. Em 1898 e 1899, as ilhas mais periféricas foram adicionados ao protetorado, e em 1900 o restante do arquipélago, área anteriormente sob jurisdição alemã, foi transferido para a administração britânica. Sob o protetorado, os missionários se estabeleceram nas Salomão, convertendo a maioria da população ao cristianismo.

No século XX, várias empresas britânicas e australianas investem em plantações de coco em grande escala. Com a eclosão da Segunda Guerra Mundial, a maioria dos plantadores e comerciantes foram evacuados para a Austrália, cessando momentaneamente a atividade agrícola. As Ilhas Salomão se tornaram uma constante área de combate, e a batalha de Guadalcanal entre japoneses e norte-americanos está entre as mais violentas e famosas de toda a guerra.

Com o fim do conflito, o governo colonial britânico retoma o controle das ilhas. A capital foi transferida de Tulagi para Honiara para aproveitar a infra-estrutura deixada pelos militares dos EUA. Um movimento nativista conhecido como Marching Rule desafiou a autoridade do governo, gerando muita desordem até que alguns dos líderes foram presos em 1948. Ao longo da década de 1950, outros grupos indígenas dissidentes apareciam e desapareciam sem ganhar força.

Em 1974, uma nova Constituição foi adotada estabelecendo uma democracia parlamentar. Em meados de 1975, o nome Ilhas Salomão substituiu oficialmente a denominação colonial Protetorado das Ilhas Salomão, e a 7 de julho de 1978 é declarada a independência. Atualmente, o país se esforça para se recuperar de um conflito civil que o levou à beira do colapso.

Bibliografia:
Solomon Islands profile (em inglês). Disponível em: < http://www.bbc.co.uk/news/world-asia-15896396 >. Acesso em: 23 set. 2012.
Solomon Islands (em inglês). Disponível em: < http://www.state.gov/outofdate/bgn/solomonislands/191351.htm >. Acesso em: 23 set. 2012.
Mapa: http://www.thecommonwealth.org/YearbookHomeInternal/139391/

Arquivado em: Oceania