Uso de aspas

Mestre em Linguística (USP, 2019)
Graduada em Letras (USP, 2016)

Ouça este artigo:

O que são as aspas?

As aspas representam mais um recurso gráfico de pontuação utilizado na produção textual. São utilizadas em pares, sendo que uma serve para abrir e a outra para fechar determinado discurso.

Tipos de aspas

Antes de mais nada, é importante reforçar que existem dois tipos de aspas:

Aspas simples (‘ ’): elas são inseridas quando a aspa dupla já está sendo utilizada no texto ou frase. Exemplo:

  • “Fernanda estava muito tensa no seminário, ela abordou a 'Nova Tese' sobre a redução da maioridade penal.”

Aspas duplas (“ ”): são empregadas nos discursos diretos para destacar algo no texto ou citar alguma, por exemplo, alguma obra. Veja:

  • Leilane preferiu dizer logo o que estava sentindo no momento: “Não gosto mais de você”.

Maneiras de utilizá-las

O uso das aspas pode gerar dúvidas em algumas situações devido a suas diversas formas de ser utilizada. Por isso, confira os detalhes que preparamos

Citações: é necessário fazer o emprego das aspas sempre que for iniciar e encerrar alguma citação direta. Observe:

  • “Aqui nós estamos, poucos dias depois de uma turba tumultuosa ter pensado que eles poderiam usar violência para silenciar a vontade do povo, para interromper o trabalho na nossa democracia, para nos forçar fora desse solo sagrado. Isso não aconteceu, isso nunca vai acontecer. Nem hoje, nem amanhã, nem nunca.” (Trecho do discurso de posse do presidente do novo Presidente dos Estados Joe Biden)

Enfatizar ou ironizar discursos: quando a intenção é exprimir ironia ou dar destaque a uma palavra ou expressão fora de seus contextos reais, costuma-se utilizar as aspas. Vejam os exemplos:

  • Que “ótimo” livro! Não consegui entender nada!

Neologismos: neologismos é quando que se cria uma nova palavra ou um conceito novo é atribuído a ela. Dessa forma, é necessário colocar a palavra entre aspas para deixar claro esse intuito.

  • Essa noite vamos “caetanear” muito no show de Caetano Veloso.
  • Os antigos "chicleteiros" curtiram muito o show de Bell Marques.

Gírias: quando na produção textual são empregadas as expressões populares, denominadas de gírias, utiliza-se as aspas, por exemplo:

  • Devido ao desemprego, Marcelo fazia "bicos".
  • A Cibele disse que “não rolou” as vendas de bilhetes.

Estrangeirismo: sabe quando precisamos utilizar palavras muito recorrentes que são derivadas de outras línguas? Isso é estrangeirismo e utilizamos as aspas nesses casos também. Veja:

  • A professora disse que vai te dar um “feedback” ainda hoje

Obras literárias: o uso desta pontuação também é feito quando queremos marcar no texto o nome uma obra literária, filmes, entre outros. Veja exemplos a seguir:

  • “Racismo Estrutural” de Sílvio Almeida foi um dos livros mais vendidos de 2020
  • Leonardo da Vinci relata em seu artigo intitulado “Memórias de um Soldado”, sua vida durante a guerra.

Casos para ficar atento

É necessário ficar atento aos sinais de pontuação das frases para empregar corretamente as aspas, pois existe uma grande dúvida a respeito da marcação delas: antes ou depois do ponto final?

Nesse caso, há duas maneiras de utilizar as aspas:

  • Se a frase se inicia e termina com esses sinais de pontuação, o ponto deve ser colocado entre as aspas.

Exemplo: “Sou como você me vê. Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania, depende de quando e como você me vê passar.”

  • Caso a frase não esteja completamente dentro das aspas, a pontuação deve ficar depois das aspas.

Exemplo: Como já dizia Angela Davis: “Numa Sociedade racista, não basta não ser racista, é necessário ser antirracista”.

Curiosidades

Nós utilizamos o modelo de aspas chamado de aspas inglesas (“a”) ou aspas curvas. Além disso, há outros tipos de representar as aspas, são elas:

  • aspas alemãs („a”);
  • aspas francesas («a»);
  • aspas japonesas (「a」).
Arquivado em: Português