Texto Dissertativo-Argumentativo

Mestra em Letras e Linguística (UFG, 2016)
Licenciada em Letras-Português (UFG, 2009)

Publicado em 19/03/2022
Ouça este artigo:

O texto Dissertativo-Argumentativo é um tipo de texto verbal, oral ou escrito, a partir do qual pretende-se alcançar os seguintes objetivos:

  1. Compartilhar informações de maneira clara e objetiva;
  2. Problematizar um assunto;
  3. Argumentar em defesa de uma tese, de opiniões do autor a respeito de determinado assunto.

A palavra “Dissertativo” tem origem latina (disertatio ou dissertatione) e significa “discursar, falar/escrever a respeito de”; a palavra “Argumentativo” significa que o discurso deva ser persuasivo e consistente para que o autor consiga sustentar sua tese e convencer o leitor/ouvinte a acatar sua opinião.

Uma ótima maneira de alcançar a consistência argumentativa é proceder à seleção de informações confiáveis, como estudos científicos, pesquisas, citações, Notícias. Assim, nessa modalidade de texto, é possível observar a função referencial da linguagem e a capacidade do autor em não apenas selecionar e expor as informações de maneira clara, objetiva, mas também, de problematizar e posicionar-se diante do assunto, de construir uma linha de argumentação que favoreça a defesa de sua tese.

Muitos gêneros discursivos são formados a partir da estrutura composicional dos textos Dissertativos-Argumentativos, como é o caso dos Artigos de Opinião, das Teses de Doutorado, Resenhas Críticas, Crônicas Argumentativas, Editoriais, Cartas de leitor, Cartas Abertas, Cartas de Solicitação/Reclamação, entre outros.

Além da exposição clara e objetiva das informações e da argumentação, nesses gêneros de textos também podem ser encontradas sequências de outras tipologias, como descritivas, narrativas e/ou injuntivas.

Características do texto Dissertativo-Argumentativo

  • Organização em prosa;
  • Utilização da norma padrão da língua;
  • Exposição clara e objetiva do assunto e das informações;
  • Problematização do assunto;
  • Seleção de argumentos para defesa de uma tese;
  • Utilização de fontes confiáveis;
  • Pessoalidade.

Importante reiterar que no texto Dissertativo-Argumentativo o autor deve manifestar sua opinião, deve convencer o leitor a acatar seu posicionamento, contestar posicionamentos contrários ao seu, problematizar/polemizar o assunto. A pessoalidade pode ser marcada no texto pelo uso da primeira pessoa do discurso (eu, nós) no singular ou plural.

Como escrever um texto Dissertativo-Argumentativo?

Os textos Dissertativos-Argumentativos são organizados em prosa (períodos e parágrafos) e em três partes sequencialmente complementares: Introdução, Desenvolvimento e Conclusão. Cada parte cumpre um papel fundamental para a manutenção da coesão textual e para a progressão temática, contribuindo para que a intencionalidade discursiva do autor e o objetivo de seu texto sejam alcançados satisfatoriamente.

O primeiro passo para uma Dissertação-Argumentativa é fazer o planejamento textual, também denominado como projeto de texto. Isso significa que o autor deve proceder à seleção prévia das informações que serão inseridas no texto, como fatos verídicos, citações, pesquisas, estudos, observando o nível de relevância, as relações de causa e consequência e a cronologia dos fatos.

O planejamento textual, embora demande um certo tempo para ser concluído, agiliza posteriormente o processo de produção do texto à medida que autor já tem ciência do que dizer, como dizer, a quem dizer e em qual parte do texto deve estar inserida cada informação.

O passo seguinte é a organização das informações selecionadas nas três partes do texto:

Introdução

A Introdução é o primeiro parágrafo, portanto, o “cartão de visitas” do texto. Nela o autor deve fazer a apresentação e a problematização do assunto/tema a respeito do qual vai dissertar. A apresentação e a problematização podem ser feitas a partir de uma breve contextualização histórica, de justificativa com relação à relevância do assunto para os debates atuais ou quaisquer estratégias que possibilitem ao leitor/ouvinte ter a clareza sobre qual o assunto é tratado no texto, quais são os problemas sociais decorridos e sobre a necessidade/relevância de estender o debate à sociedade.

Observando o caráter argumentativo desse tipo de texto, em seguida, o autor deve expor a sua tese, ou seja, seu posicionamento com relação ao assunto.

O autor deve ser ponderado com relação à quantidade de informações inseridas na Introdução, já que o detalhamento das mesmas deve ser feito na segunda parte do texto, o Desenvolvimento.

Desenvolvimento

O Desenvolvimento compreende o espaço entre os parágrafos seguintes à introdução e termina no penúltimo parágrafo do texto. Nessa parte, as informações previamente selecionadas no planejamento são detalhadas e devem estar a serviço da argumentação e da sustentação da tese apresentada na introdução.

Os argumentos podem ser ordenados observando sua relevância, as relações de causa e consequência e a cronologia dos fatos. A argumentação deve ser consistente, isso significa que o autor deve selecionar de informações confiáveis, como Notícias, pesquisas e estudos científicos, citações, mobilizar outras vozes de autoridade no texto para concordar ou refutar suas ideias, como profissionais da área. Além da consistência argumentativa, o autor deve posicionar-se diante do assunto construindo uma linha de argumentação que favoreça a defesa de sua tese.

O Desenvolvimento é uma parte muito importante do texto, pois é o seu núcleo informacional, espaço em que o leitor/ouvinte encontra as respostas para ampliar seus saberes anteriores a respeito do assunto.

Conclusão

A Conclusão é o último parágrafo do texto, portanto, não é o espaço adequado para inserir novas informações. Pelo contrário, na Conclusão, o autor deve fazer o desfecho da argumentação e retomar a tese apresentada na Introdução, reforçando-a, reiterando-a. Dessa forma, a Conclusão é o elo que liga e correlaciona as partes do texto, atribuindo a ele unidade de sentido.

Após a conclusão, o autor deve reler e revisar o próprio texto, fazendo os ajustes e, se necessário, criar um Título. De maneira geral, o Título é uma síntese do texto; ele deve ser iniciado com letra maiúscula e pontuado no final apenas pelos sinais de Exclamação (!), Interrogação (?) ou Reticências (...), a depender dos efeitos de sentidos desejados pelo autor. O Ponto Final (.) não é utilizado nos Títulos porque não se trata de uma frase declarativa.

Leia o exemplo de um texto Dissertativo-Argumentativo. Trata-se da redação de um participante do ENEM avaliada com pontuação máxima:

O filme ‘’Cine Hollywood’’ narra a chegada da primeira sala de cinema na cidade de Crato, interior do Ceará. Na obra, os moradores do até então vilarejo nordestino têm suas vidas modificadas pela modernidade que, naquele contexto, se traduzia na exibição de obras cinematográficas. De maneira análoga à história fictícia, a questão da democratização do acesso ao cinema, no Brasil, ainda enfrenta problemas no que diz respeito à exclusão da parcela socialmente vulnerável da sociedade. Assim, é lícito afirmar que a postura do Estado em relação à cultura e a negligência de parte das empresas que trabalham com a ‘’sétima arte’’ contribuem para a perpetuação desse cenário negativo.

Em primeiro plano, evidencia-se, por parte do Estado, a ausência de políticas públicas suficientemente efetivas para democratizar o acesso ao cinema no país. Essa lógica é comprovada pelo papel passivo que o Ministério da Cultura exerce na administração do país. Instituído para ser um órgão que promova a aproximação de brasileiros a bens culturais, tal ministério ignora ações que poderiam, potencialmente, fomentar o contato de classes pouco privilegiadas ao mundo dos filmes, como a distribuição de ingressos em instituições públicas de ensino básico e passeios escolares a salas de cinema. Desse modo, o Governo atua como agente perpetuador do processo de exclusão da população mais pobre a esse tipo de entretenimento. Logo, é substancial a mudança desse quadro.

Outrossim, é imperativo pontuar que a negligência de empresas do setor – como produtoras, distribuidoras de filmes e cinemas – também colabora para a dificuldade em democratizar o acesso ao cinema no Brasil. Isso decorre, principalmente, da postura capitalista de grande parte do empresariado desse segmento, que prioriza os ganhos financeiros em detrimento do impacto cultural que o cinema pode exercer sobre uma comunidade. Nesse sentido, há, de fato, uma visão elitista advinda dos donos de salas de exibição, que muitas vezes precificam ingressos com valores acima do que classes populares podem pagar. Consequentemente, a população de baixa renda fica impedida de frequentar esses espaços.

É necessário, portanto, que medidas sejam tomadas para facilitar o acesso democrático ao cinema no país. Posto isso, o Ministério da Cultura deve, por meio de um amplo debate entre Estado, sociedade civil, Agência Nacional de Cinema (ANCINE) e profissionais da área, lançar um Plano Nacional de Democratização ao Cinema no Brasil, a fim de fazer com que o maior número possível de brasileiros possa desfrutar do universo dos filmes. Tal plano deverá focar, principalmente, em destinar certo percentual de ingressos para pessoas de baixa renda e estudantes de escolas públicas. Ademais, o Governo Federal deve também, mediante oferecimento de incentivos fiscais, incentivar os cinemas a reduzirem o custo de seus ingressos. Dessa maneira, a situação vivenciada em ‘’Cine Hollywood’’ poderá ser visualizada na realidade de mais brasileiros.

(Fonte: Daniel Gomes. ENEM. Redação nota mil. Fortaleza-CE. https://g1.globo.com/educacao/enem/2019/noticia/2020/01/17/enem-2019-veja-integra-de-redacoes-nota-1-mil.ghtml.)

Observação: O participante optou por não atribuir um Título ao texto. No ENEM o Título não é obrigatório.

O texto Dissertativo-Argumentativo na prova de Redação do ENEM

O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) é o segundo maior processo de avaliação em larga escola do mundo, ficando atrás apenas do Gaokao, na China. Nesses dois amplos modelos, a avaliação da produção de texto (redação) é obrigatória e corresponde a uma parte significativa da pontuação dos participantes.

Desde 2011, a prova de redação do Enem mantém o mesmo formato e solicita que os milhões de participantes redijam um texto Dissertativo-Argumentativo a respeito de determinado tema/assunto. O texto deve ser escrito em norma padrão da Língua Portuguesa e os argumentos devem ser selecionados e organizados em defesa uma tese. Na conclusão, devem ser sugeridas propostas de intervenção para amenizar ou solucionar os problemas apontados no desenvolvimento do texto.

Diferenças entre o texto Dissertativo-Argumentativo e o texto Dissertativo-Expositivo

Os textos Dissertativo-Argumentativo e Dissertativo-Expositivo são bastante parecidos, sobretudo com relação às características estruturais, estilo e função de linguagem. Entretanto, há um detalhe que os diferencia: enquanto o texto Dissertativo-Expositivo é impessoal, ou seja, não apresenta marcas de argumentação e de opinião do autor, no texto Dissertativo-Argumentativo as informações são inseridas com o objetivo de reforçar a argumentação e a defesa de tese, convencendo o leitor a acatar o ponto de vista e concordar com a opinião do autor sobre o assunto.

Aprenda mais sobre os tipos de textos estudando sobre o texto Dissertativo-Expositivo.

Referências

https://g1.globo.com/educacao/enem/2019/noticia/2020/01/17/enem-2019-veja-integra-de-redacoes-nota-1-mil.ghtml

Exercícios e questões de vestibulares

Questão 01:

Assinale a alternativa que melhor define o que é texto Dissertativo-Argumentativo:

Veja a resposta desta e mais outras questões!
Exercícios sobre Texto Dissertativo-Argumentativo - Redação
Arquivado em: Português, Redação