Cinetoplastídeos

Os cinetoplastídeos (classe Kinetoplastida, Filo Euglenozoa, Reino Protozoa) são heterótrofos incolores. Dentre as seiscentas espécies de vida livre conhecida, a maioria é de parasitas. Todas elas compartilham o bastão paraxial flagelar com os seus parentes euglenóides, mas de modo ímpar tem uma massa conspícua de DNA, o cinetoplasto, que fica dentro de uma grande mitocôndria.

Trypanosoma cruzi. Foto: Dr. Mae Melvin / CDC [public domain]

Trypanosoma cruzi. Foto: Dr. Mae Melvin / CDC.gov

As espécies biflageladas e de vida livre de Bodo são comumente encontrada em água salobra e doce além de estarem também no solo onde se alimentam de bactérias. Os cinetoplastídeos tripanossomatídeos são parasitas intestinais de insetos e parasitas sanguíneos de vertebrados. A expressão diferencial de genes (e também da síntese de proteína) durante os muitos estágios infectivos modifica a característica original do antígeno, permitindo ao parasita a chance de ludibriar o sistema imunológico do hospedeiro, e assim causar danos.

As espécies dos gêneros tripanossomatídeos Leishmania e Trypanosoma são agentes de muitas doenças que acometem os homens e os animais domesticados, principalmente em regiões tropicais e/ou subtropicais. O ciclo de vida desses organismos é dividido basicamente em duas etapas. Em uma delas esses tripanossomatídeos passam no interior das células intestinais de insetos sugadores de sangue (quase que soberanamente os vários tipos de moscas), e na outra etapa passam no sangue ou nos leucócitos (e nas células linfóides) do hospedeiro vertebrado, não excluindo a possibilidade de invadirem outros tecidos deste hospedeiro.

Leishmania é o agente da disseminada leishmaniose e também de doenças relacionadas. Elas são responsáveis por lesões cutâneas e interferência nas respostas imunes, entre tantos outros efeitos. A leishmania tem como vetor o mosquito-palha, do gênero Phlebotomus ou Lutzomyia.

A doença de chagas da América tropical é causada pelo Trypanosoma cruzi e é transmitida por percevejos sugadores de sangue. De fato causam danos extensos no hospedeiro humano quando o parasita deixa o sistema circulatório e invade o fígado, o baço e o músculo cardíaco.

Trypanosoma brucei rhodesiense e T. b. gambiense causam a doença do sono africano e é transmitida pela mosca tsé-tsé. Estes parasitas invadem o fluído cerebrospinal e o cérebro provocando letargia, sonolência e deterioração mental que marcam a etapa terminal da doença. Há muitas outras doenças provocada pelos tripanossomos em equinos, bovinos e ovinos.

Arquivado em: Reino Protista