Sistema circulatório humano

Mestre em Ecologia e Recursos Naturais (UFSCAR, 2019)
Bacharel em Ciências Biológicas (UNIFESP, 2015)

Publicado em 20/05/2019

O sistema circulatório humano é do tipo fechado, ou seja, ocorre no interior de vasos, sendo responsável pelo transporte do sangue e do líquido tecidual denominado linfa, cujo fluxo ocorre através dos vasos linfáticos. Este sistema é essencial para a manutenção da homeostase corporal, carreando oxigênio, nutrientes e células do sistema imunológico por toda a extensão do corpo. Além disso, ele participa da eliminação de rejeitos metabólicos e de gás carbônico, conduzindo-os para seus locais de excreção. O sistema circulatório também favorece a conservação do calor produzido pelo corpo, uma adaptação muito importante dos mamíferos e aves que permite manter a temperatura interna independente da temperatura ambiental.

O sistema circulatório humano é do tipo fechado e duplo. Ilustração: Designua / Shutterstock.com [adaptado]

O sistema circulatório pode ser dividido em vascular sanguíneo e vascular linfático. O primeiro é formado por capilares, veias, vênulas, artérias, arteríolas e coração. O segundo é constituído por vasos, capilares e ductos linfáticos. Os capilares são os menores vasos sanguíneos, apresentando entre 10 e 30 μm de diâmetro, formados apenas por uma camada de tecido endotelial. Eles são o local em que ocorre as trocas gasosas e de nutrientes entre o sangue e os tecidos. Também é através dos capilares que as células do sistema imune penetram os órgãos para combater infecções. Eles podem variar em relação a continuidade da lâmina basal, sendo classificados em contínuo, fenestrado e sinusoide. Cada tipo de capilar ocorre em um determinado tecido de acordo com as funções que estes apresentam. Nos capilares contínuos, por exemplo, o espaço entre as células é vedado, impedindo a passagem de grandes substâncias. É por isso que a barreira hematoencefálica, que nutre o cérebro, é irrigada por eles. Assim, o sangue transfere fundamentalmente apenas oxigênio e glicose para o encéfalo, evitando que macromoléculas possam afetar o tecido nervoso.

Anatomia de uma veia. Ilustração: stockshoppe / Shutterstock.com

As veias e vênulas são os vasos responsáveis por transportar sangue venoso (pobre em O2) e são distinguidas pelo calibre: vênulas tem diâmetro variando de 10 a 100 μm enquanto veias podem ter de 1 mm a 4 cm (como a veia cava, maior veia do corpo humano). As veias são formadas por túnica intima, com endotélio e lâmina elástica, túnica média com fibras de colágeno e tecido muscular pouco desenvolvido e túnica externa (ou adventícia) espessa com fibras elásticas e musculatura, nutrida por vasa vasorum. As vênulas são mais simples, formadas por endotélio sem lâmina elástica e uma pequena camada de células musculares. Em comparação com as artérias, as veias possuem uma parede mais fina com pouca musculatura. Além disso, as veias dos membros superiores e inferiores possuem válvulas em seu interior. Isto porque nelas o sangue flui contra a gravidade, o que poderia ocasionar o refluxo sanguíneo. As válvulas, formadas por tecido conjuntivo, evitam que isso ocorra, induzindo o sangue a retornar para o coração. Em alguns casos as válvulas dessas veias perdem seu tônus, formando veias dilatadas e sinuosas chamadas de varizes. As veias pulmonares e umbilical são as únicas veias que transportam sangue arterial (rico em O2), saindo dos pulmões ou carreando sangue para a placenta.

Anatomia de uma artéria. Ilustração: stockshoppe / Shutterstock.com

As artérias transportam sangue arterial oxigenado (com exceção das artérias pulmonares e umbilical) e são classificadas de acordo com seu diâmetro. As arteríolas são as menores (de 30 a 400 μm), seguidas pelas artérias de médio calibre (variando de 500 μm a 1 cm) e as artérias de grande calibre (com diâmetro maior que 1 cm). As arteríolas são compostas por endotélio fino recoberto por poucas camadas de células musculares e as artérias possuem túnica intima (endotélio, musculatura lisa e lâmina elástica), túnica media e túnica externa com vasa vasorum. As artérias de calibre médio possuem em sua túnica media uma grande quantidade de tecido muscular, enquanto que as artérias de grande calibre possuem mais tecido elástico e colágeno. Devido a sua composição, as artérias são capazes de transportar o sangue com alta velocidade e pressão. A maior artéria do corpo, a aorta, tem diâmetro médio de 2,5 cm. Com o tempo, a túnica média das artérias próximas ao coração, expostas a uma maior pressão, se degenera. Em sua reconstituição, uma grande quantidade de colágeno pode ser depositada, causando o enrijecimento da parede causando uma doença chamada arteriosclerose. Esta condição causa redução do fluxo de sangue e pode levar a formação de trombos, agregados de plaquetas que podem causar a obstrução de vasos sanguíneos resultando em infartos ou embolia (quando pedaços dos trombos penetram arteríolas pulmonares ou cerebrais).

O coração é o órgão central do sistema circulatório, bombeando o sangue nos vasos através de suas contrações. Ele é formado pelo endocárdio, miocárdio e epicárdio, camadas semelhantes às túnicas dos vasos. O endocárdio é composto por células endoteliais e o miocárdio possui o músculo estriado cardíaco, que realiza a contração do órgão. Também se localiza nesta camada o nó sinoatrial, com as células marca-passo que fazem os batimentos cardíacos ocorrerem de maneira rítmica e constante através da geração de pulsos elétricos. Por fim, o epicárdio reveste o coração com tecido conjuntivo e vasos que o nutrem. O coração humano, similar ao das aves, é subdividido internamente em 4 câmaras: os átrios (direito e esquerdo) e os ventrículos (direito e esquerdo). O sangue venoso entra pelo no átrio direito, passa para o ventrículo direito que o bombeia para os pulmões. Depois de receber oxigênio, o sangue arterial retorna para o átrio esquerdo, sendo carreado para o ventrículo esquerdo que o envia para a circulação sistêmica, irrigando o corpo.

O sistema vascular linfático também faz parte do sistema circulatório, transportando a linfa, líquido incolor que contém substâncias do metabolismo (como lipídios) e que conduz linfócitos. O sistema linfático sempre se move em uma única direção, dos órgãos para o coração. A linfa é recolhida pelos capilares linfáticos adjacentes aos capilares sanguíneos e as vênulas, sendo transportada pelos vasos linfáticos até os ductos linfáticos, que despejam a linfa nas veias próximas ao coração. Os vasos linfáticos possuem uma composição muito similar a das veias, inclusive contendo válvulas em seu interior que previne o refluxo de linfa. Os vasos transportam a linfa através dos linfonodos, responsáveis pela filtração do fluido e liberação de linfócitos.

Leia também:

Referências:

Carneiro, J., & Junqueira, L. C. U. (2008). Histologia básica: texto, atlas. Guanabar-Koogan.

Fox, S. I. (2006). Human Physiology 9th Editon (pp. 501-502). McGraw-Hill press, New York, USA.

Guyton, A. C., & Vela, H. (1983). Fisiologia humana (Vol. 1). Interamericana.