Método rítmico

Mestrado em Ciências Veterinárias (UFU, 2013)
Graduação em Ciências Biológicas (UEG, 2010)

O método contraceptivo conhecido como Tabelinha, Calendário, Método Rítmico ou Ogino-Knaus é um método comportamental para prevenir ou planejar gravidez. Como todo método anticoncepcional comportamental, possui altos índices de falhas, principalmente quando não é feito de forma rigorosa, planejada e quando não se possui ciclos menstruais regulares.

Esse método baseia-se na observação do ciclo menstrual e abstenção das relações sexuais no período fértil, quando pretende-se evitar a gravidez. Mas, pode ser utilizado para engravidar, no qual exige a prática de relações nessa fase.

Para que esse método seja eficaz, é preciso que a mulher faça a observação do seu ciclo por um período de 6 a 12 meses, com a finalidade de compreender a duração e frequência do ciclo menstrual, os sintomas associados a ovulação e a ocorrência periódica do período fértil.

A falha baseia-se no fato de que a ovulação e o período fértil são influenciados por fatores externos como estresse, doenças, utilização de determinados medicamentos, atividade física mais intensa que o habitual, alterações emocionais, entre outros fatores. É importante ressaltar que esse método não previne Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs).

Esse método é para todas as mulheres?

Para verificar se o método rítmico é para o tipo de ciclo menstrual da mulher, é preciso utilizar a seguinte técnica:

  • 1) Observar o ciclo menstrual por um período de 6 a 12 meses. Nessa observação, deve-se anotar o número de dias do ciclo, o qual dura desde o primeiro até o último dia antes da próxima menstruação.
  • 2) Anotar o ciclo menstrual mais curto e o mais longo durante o período registrado.
  • 3) Calcular a diferença entre o ciclo mais curto e o mais longo. Quando a diferença entre eles for igual ou maior que 10 dias, a tabelinha não deve ser adotada como método contraceptivo. Por exemplo, se uma mulher verifica que o ciclo mais curto durou 25 dias e o mais longo 32, a diferença entre eles é de 6 dias. Nesse caso hipotético, o método pode ser adotado com maior eficácia.

Caso o método seja indicado, é preciso conhecer o período fértil da mulher e não ter relações sexuais nesse período ou associar ao uso do preservativo.

Quando é o período fértil?

O período fértil ocorre entre o 11º a 17º dia após o primeiro dia da menstruação em um ciclo menstrual de 28 dias. Mas, para que seja calculado com mais precisão pode-se subtrair 18 dias do ciclo mais curto e 11 dias do ciclo mais longo, assim obtêm-se o início do período fértil.

É importante verificar também os sintomas que muitas vezes estão associados a esse período, como, aumento leve da temperatura corporal, muco cervical fluido semelhante a clara de ovo e dor no baixo ventre, para maior chance de acerto.

Vantagens e Desvantagens

A principal vantagem desse método é não ter os efeitos sistêmicos dos anticoncepcionais hormonais, ou o desconforto e os custos dos dispositivos intrauterinos, diafragmas, entre outros. Além de ser um método eficiente quando utiliza-se com o objetivo de engravidar.

Mas, as principais desvantagens são que não previne ISTs, possui alto índices de falha devido as variações do ciclo e o fator comportamental humano, além de que é necessário ter aderência do casal e não apenas da mulher.

Por isso, é importante associar o método rítmico ao uso do preservativo masculino ou feminino. Mas, caso haja uma relação desprotegida durante o período fértil é recomendado a utilização do anticoncepcional de emergência.

Leia mais:

Referência:

BRASIL, Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Área Técnica de Saúde da Mulher. Assistência em Planejamento Familiar: Manual Técnico/Secretaria de Políticas de Saúde, Área Técnica de Saúde da Mulher – 4a edição – Brasília: Ministério da Saúde, 2002.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.

Arquivado em: Saúde, Sexualidade