Heliocentrismo

Durante muito tempo, as pessoas debateram sobre os movimentos celestes e sobre o mais primordial: é o Sol que gira ao redor da Terra ou é a Terra que gira ao redor do Sol? Essa pergunta, que hoje em dia por conta da Ciência avançada parece ser muito boba, já foi motivo de grandes brigas, condenações e ameaças de morte na fogueira. O heliocentrismo diz que a Terra gira ao redor do Sol com certa periodicidade e velocidade. Por conta desse movimento, temos, por exemplo, as estações do ano e o dia e a noite.

Diagrama feito por Copérnico em 1543 mostra os planetas girando em torno do Sol.

Diagrama feito por Copérnico em 1543 mostra os planetas girando em torno do Sol.

O heliocentrismo é o oposto do geocentrismo, que dizia que o Sol girava ao redor da Terra. Historicamente, os historiadores e astrônomos costumam datar o século XVI como o início dos estudos sobre o heliocentrismo, mas desde muito antes o assunto já estava em debate. A partir desse ano o assunto ganhou mais notoriedade e mais estudos relevantes.

O primeiro a presentar materiais escritos sobre o tema foi Nicolau Copérnico (1473-1543), que desenvolveu um modelo matemático sobre o sistema heliocêntrico muito bem escrito. O seu modelo dizia que a Terra girava ao redor do Sol assim como todos os demais planetas. Entretanto, Copérnico errou ao dizer que as órbitas dos planetas eram circunferências. Mais tarde, Johannes Kepler reestruturou o trabalho de Copérnico e comprovou que as órbitas dos planetas são elípticas.

O dinamarquês Tycho Brahe (1546-1601) nasceu três anos após a morte de Copérnico. Ele produziu os próprios instrumentos a escreveu um livro publicado em 1598 onde descreveu sobre a medição das coordenadas elípticas dos objetos celestes. Ele ganhou um patrocínio do rei da Dinamarca, Frederic II, para montar um observatório astronômico.

Algum tempo depois, Tycho conseguiu contratar Johannes Kepler (1571-1630). Kepler era protestante e professor de matemática e astronomia em uma escola secundária. Por pressão da Igreja Católica, ele se exilou e aceitou a proposta de emprego oferecida por Tycho. Kepler ‘herdou’ o observatório quando Tycho morreu. Kepler conseguiu determinar as diferentes posições da Terra após cada período sideral de Marte e assim conseguiu traçar a órbita da Terra, determinando que as órbitas dos planetas são elipses com o Sol um pouco afastado do centro.

Galileu Galilei (1564-1642) começou suas observações telescópicas em 1609. Através de suas observações, a teoria heliocêntrica ganhou mais força. Dentre suas descobertas, ele mostrou que Júpiter tinha quatro satélites que orbitavam em torno dele. Dessa forma, Galileu mostrou que os corpos celestes podiam, sim, estar em movimento assim como as coisas que as orbitavam também estavam em movimento. Assim, ele mostrou que o fato da Lua girar ao redor da Terra não implicava que a Terra estivesse parada como o modelo geocêntrico mostrava.

Ele também mostrou que, assim como a Lua, Vênus também passava por um ciclo de cinco fases.

Essa descoberta foi importante, pois, no sistema de Ptolomeu, Vênus está sempre mais próximo da Terra do que do Sol e, por conta disso, ele nunca poderia ter toda a sua face iluminada voltada para nós. Dessa forma, Galileu concluiu que Vênus move-se ao redor do Sol, as vezes passando por frente ou por trás, mas não ao redor da Terra.

As descobertas de Galileu foram importantes para provar o heliocentrismo, mas ele foi acusado de heresia e obrigado a se retratar pela Inquisição Romana. Em 1980, o Papa João Paulo II ordenou uma revisão sobre o processo de Galileu. Dessa forma, a resistência à Revolução Copernicana pela Igreja Católica foi eliminada. Galileu foi perdoado formalmente pela Igreja Católica em 31 de outubro de 1992, 350 anos depois de sua morte.

Referências:
http://astro.if.ufrgs.br/movplan2/movplan2.htm
http://www.ciencias.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=265
http://www2.ufrb.edu.br/griot/images/vol9-n1/1.GIORDANO_BRUNO_-_ENTRE_O_GEOCENTRISMO_E_O_HELIOCENTRISMO_-_Ideusa_Celestino_Lopes_UVA.pdf

Arquivado em: Astronomia