Oásis

Por Thais Pacievitch
Oásis são verdadeiros paraísos em meio ao deserto. Formados graças à proximidade com fontes ou nascentes de água, neles, a vegetação se desenvolve graças à fertilidade do solo. Geralmente, os oásis se formam em regiões com depressões, nas quais o lençol de água subterrâneo (lençol freático) está mais próximo da superfície. No entanto, existem oásis irrigados por fontes subterrâneas, cuja origem pode estar a centenas de quilômetros de distância, por poços ou constituídos por irrigações artificiais.

Oásis no deserto do Atacama, Peru. Foto: AgainErick / Wikimedia.

Oásis no deserto do Atacama, Peru. Foto: AgainErick / Wikimedia.

A tamareira, palmeira cujo fruto é a tâmara, é a espécie vegetal mais comum nos oásis, e é a principal fonte de alimento. É, à sombra das tamareiras, é que pequenas plantações (irrigadas) de legumes e verduras suportam o calor do deserto. São cultivados também figos, pêssegos, frutas cítricas, damascos, entre outros. Camelos e carneiros são os principais animais criados ao redor dos oásis.

Nos oásis é que as caravanas de comerciantes descansam e se abastecem de água para cruzar os desertos. Existem oásis de diferentes dimensões, mas na África são encontrados os maiores do planeta, principalmente no Deserto do Saara.

Em alguns oásis, sobretudo nos maiores e com mais tempo de ocupação, pequenos povoados se estabeleceram, dando subsídios para os viajantes que por eles passam.

No deserto do Saara, os principais oásis são:

  • Oásis de Guardaia – Guardaia é uma das cinco cidades fortificadas do Vale do M'zab, na Argélia, região habitada a partir de 1012. Em Guardaia, assim como nas demais cidades, a arquitetura é destaque. O oásis, também conhecido como oásis de M'zab, abastece as cinco cidades graças a um avançado sistema de irrigação.
  • Oásis Bahariya – Localizado a 300 km do Cairo, esse oásis é ocupado desde antes de Cristo. Em 1996, foram encontrados 200 sepulcros, nos quais estima-se que  pode haver cerca de 10000 múmias. Os cadáveres estudados até então são do período entre 31 a.C. ao ano de 395.
  • Oásis Timimoun – Localizado ao sul da Argélia (cerca de 1200 km), no Grand Erg Ocidental (grande área de dunas), o Oásis Timimoun é um dos mais bonitos do país. As casas do local são feitas de um barro vermelho, característica da arquitetura sudanesa.

Outros oásis que merecem destaque são: Oásis Timia (Nigéria); Al-Hasa (Arábia Saudita); Huacachinaé (Peru); Tinerhir (Marrocos); Wadi Bani Khaled (Omã); Ein Gedi (Israel); Crescent Lake (Deserto de Gobi, China); Khar Nuur  (Mongólia); Chibika e Tamerza (Tunísia); Awjila, Ghadames, Kufra (Líbia); e Dakhleh, Farafra, Kharga e Siwa (Egito).

Referências:

GRECO. Alessandro. Oásis de múmias. Superinteressante. São Paulo, ed. 145, out.1999. Disponível em: <http://super.abril.com.br/superarquivo/1999/conteudo_101609.shtml> Acesso em 12 fev. 2010.

OÁSIS. In: Encyclopaedia Britannica do Brasil. Barsa CD-ROM, 1999.

LINO, Andréia. Oásis encontrados em desertos pelo mundo afora. Site Mundo Afora. Disponível em: <http://www.mundo-afora.com/moda/oasis-encontrados-em-desertos-pelo-mundo-afora.html> Acesso em 13 fev. 2010.

Foto: http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Peru_Ica_Oasis_bluesky.png