Oásis

Mestre em Ecologia (UERJ, 2016)
Graduada em Ciências Biológicas (UFF, 2013)

O oásis é considerado uma porção de água encontrada no meio dos desertos, formando regiões mais úmidas, proporcionando condições para que a vegetação se desenvolva nestas áreas. Eles servem como ponto estratégico de descanso e abastecimento de água para as populações nômades que habitam o deserto, assim como para os comerciantes que cruzam este bioma seguindo as rotas comerciais como os beduínos e tuaregues da África, que utilizam os oásis do deserto do Saara há mais de três milênios. Devido às condições proporcionadas pelo surgimento dos oásis que permitem o desenvolvimento de plantas, animais e do homem, eles são por muitos considerados uma dádiva em meio ao calor e o clima seco dos desertos.

Oasis em deserto no Peru. Foto: Martchan / Shutterstock.com

Os oásis, no deserto, são formados devido à ação do vento que desloca grandes porções de areia e rebaixa o nível do solo em determinadas regiões fazendo com que este fique próximo ao lençol freático subterrâneo. O vento também é capaz de moldar rochas típicas do deserto e através das fendas destas rochas, a água subterrânea do lençol freático encontra um caminho até a superfície, criando-se desta maneira os oásis. Estes podem ser temporários ou permanentes, e isto dependerá do fornecimento de água subterrânea. Os oásis que se formam apenas temporariamente não têm o seu fornecimento de água contínuo, e a maioria das vezes são formados devido à água acumulada durante as chuvas no deserto. Por outro lado, os oásis permanentes têm um fornecimento contínuo de água e, geralmente, a água brota naturalmente no solo a partir de uma nascente subterrânea. Também existem muitos oásis que são criados artificialmente através da construção de poços artesianos que retiram água dos aquíferos subterrâneos fazendo com que a mesma chegue à superfície. Neste caso, a perfuração do solo para alcançar o lençol freático subterrâneo pode chegar a mais de dois mil metros de profundidade dependendo da distância em que se encontra a fonte de água da superfície.

Na região do oásis que contém o solo composto por argila (que retém mais água e materiais orgânicos do que o solo arenoso) é possível desenvolver a agricultura com técnicas de plantio e irrigação e assim plantar diversos alimentos como legumes, verduras e frutas. A tamareira é uma palmeira típica dos oásis que tem um crescimento rápido no calor e possui raízes adaptadas para absorver a água das fontes subterrâneas. Ela é muito consumida pelos povos que habitam o deserto, pois fornece um fruto saboroso e nutritivo, e a ponta do caule quando fermentada dá origem a um vinho de aroma forte e doce. Além disso, ela é fundamental para o crescimento de outras plantas, como o damasqueiro (o fruto é o damasco), que crescem sob a sua sombra já que esta planta pode alcançar mais de 15 metros de altura.

No mundo existem vários oásis nas áreas desérticas, mas os maiores oásis do mundo estão localizados no deserto do Saara, no continente africano, e são o oásis Timimoun e o oásis de Guardaia, ambos na Argélia, e o oásis de Bahariya, no Egito.

Oasis de Bahariya, Egito. Foto: Anton_Ivanov / Shutterstock.com

Referências Bibliográficas:

GRECO, Alessandro. 2016. Oásis de múmias. Disponível em: <http://super.abril.com.br/historia/oasis-de-mumias/>

OÁSIS. In: Britannica Escola. Enciclopédia Escolar Britannica, 2017. Disponível em: <http://escola.britannica.com.br/levels/fundamental/article/o%C3%A1sis/482083>

RATIER, Rodrigo. 2016. O que é um oásis? Disponível em: <http://mundoestranho.abril.com.br/ambiente/o-que-e-um-oasis/>

Arquivado em: Biomas, Hidrografia