Queratina

Recebe o nome de queratina, ou ceratina, a proteína secundária, de origem animal, composta por cerca de 21 aminoácidos ligados entre si através de ligações de hidrogênio. O principal aminoácido que compõe a queratina é a cisteína, que, por ser um aminoácido sulfurado, ou seja, apresenta o elemento enxofre em sua estrutura, estabelece entre si um tipo de ligação covalente denominada ligação cisteídica, que se dá entre dois átomos de enxofre.

Beta-queratina

Beta-queratina

A queratina é sintetizada pelos queratinócitos, células diferenciadas do tecido epitelial. Devido à sua estrutura tridimensional, essa proteína possui propriedades particulares como impermeabilidade à água, alto nível de resistência e elasticidade. A resistência, principalmente, está relacionada às ligações cisteídicas da cadeia.

Essa proteína forma uma camada que envolve as células da epiderme (camada mais externa da pele), de modo a evitar perdas desnecessárias de água e, também, proteger o organismo contra agressões externas, tais como choques mecânicos, radiação solar, ventos e chuvas. As células queratinizadas são mortas, mas, ainda assim, conseguem desempenhar tais funções, primeiro porque detêm microrganismos que auxiliam na retenção de água; depois porque formam uma camada protetora, que evita agressões às células vivas.

Nos mamíferos, além da epiderme, a queratina também é encontrada nas unhas, cabelos, cascos, chifres e garras. Nas aves, as penas e os bicos são estruturas queratinizadas. As escamas dos répteis, as “barbas de baleia”, a carapaça dos cágados, os espinhos do porco-espinho e as barbatanas dos peixes também são ricos em queratina.

Essa proteína é muito usada pela indústria de cosméticos, na composição de xampus, condicionadores, cremes, esmaltes, filmes plásticos, restauradores capilares, cremes alisantes e produtos de higiene pessoal. Por ser a principal substância que compõe os cabelos, a queratina é largamente utilizada em tratamentos capilares, destinado à reposição da proteína perdida diariamente por meio de agressões físicas e químicas. A queratina também é utilizada no alongamento de cabelos, que cola os fios com seus polímeros.

Para ser utilizada em processos industriais, a queratina pode ser extraída a partir da lã e de fios de cabelo, porém, a fonte mais utilizada é a pena de frango. Cerca de 90% da estrutura das penas são formadas por queratina, por isso são tão rígidas e resistentes a vários fatores externos.

Referências:
http://www.sbrt.ibict.br/dossie-tecnico/downloadsDT/Mjky
http://pt.wikipedia.org/wiki/Queratina
Ilustração: http://hmaloy.wikispaces.com/B-keratin+(silk)

Arquivado em: Bioquímica