Aromatizantes

Por Marina Martinez
Os aromatizantes são compostos naturais (origem animal ou vegetal) ou artificiais (sintéticos) que dão cheiro e sabor característico aos produtos comestíveis (alimentos industrializados) e odor aos produtos não comestíveis (cosméticos, aromatizador de ambientes, etc.).

Os aromatizantes podem ser naturais, artificiais ou uma mistura dos dois. Os naturais são substâncias obtidas por processos físicos, enzimáticos ou microbiológicos, como também a partir de matérias-primas aromatizantes naturais, que são os produtos de origem animal (carnes, frutos do mar, aves, ovos, laticínios, etc.) e vegetal (sumo de fruta, legumes, suco de vegetais, ervas, cascas, brotos, raízes, folhas, etc.), que podem ser utilizados no seu estado natural ou processados.  São exemplos de aromatizantes naturais os óleos essenciais, extratos, bálsamos, oleoresinas ou oleogomaresinas, e substâncias aromatizantes naturais isoladas.  Já os aromatizantes artificiais são substâncias sintetizadas quimicamente em laboratório, como por exemplo, o aromatizante etil-vanilina (aroma imitação de baunilha).

Os aromatizantes artificiais são os mais comumente utilizados, principalmente na indústria alimentícia, devido ao alto custo dos extratos naturais como também pela dificuldade de encontrá-los.  Um exemplo é o aroma de coco natural, que depende de uma substância química chamada lactone massoia, que é tirada da casca da árvore Massoia, que cresce na Malásia. Todo o processo da extração deste produto natural levaria tempo e dinheiro.  Este aroma tem sido substituído por uma alternativa sintética que é mais acessível e prática para os fabricantes.

Além disto, os artificiais são na maioria das vezes idênticos aos naturais e muitos deles são fáceis de imitar, como é o caso das frutas, que carregam somente um ou poucos componentes químicos dominantes que confere a função do sabor e aroma. Muito destes componentes são chamados de ésteres, como por exemplo, o éster acetato de octila que é um componente que confere aroma e sabor idêntico ao de laranja e o éster acetato de isoamila, que é um componente fundamental para o sabor de banana. Estes componentes criados em laboratório e adicionados a um produto, dará o sabor e cheiro idêntico ao de laranja ou banana.

Tabela mostra a relação entre composto químico e aroma/sabor de produtos conhecidos

No entanto, um único aromatizante artificial pode ser uma combinação de vários produtos químicos, muitos dos quais são derivados de petróleo, podendo causar problemas como coceiras, alergias e tonturas em alguns indivíduos. Alguns aromas artificiais podem também afetar o RNA, tireóide e os níveis da enzima no sangue. Portanto, é muito importante estar informado na embalagem do produto o tipo de aromatizante utilizado, seja ele natural ou artificial.

Referências Bibliográficas:
http://www.realquality.com.br/realnews/056_200807_vocesabia.html
http://ciencia.hsw.uol.com.br/questao391.htm
http://www.consumidorbrasil.com.br/consumidorbrasil/textos/dicasconsumo/alimentosindustrializados.htm
http://www.slideshare.net/Samiravet/flavorizantes-e-aromatizantes-aula