Fontes renováveis de Energia

Por Caroline Faria
As fontes renováveis de energia são aquelas capazes de fornecer energia através da utilização dos chamados “combustíveis renováveis”: que podem ser utilizados infinitamente e jamais se esgotarão. Exemplos deste tipo de “combustível renovável” são a água (fonte renovável de energia = hidroelétrica), o hidrogênio (fonte renovável de energia = célula a combustível) e a radiação solar (fonte renovável de energia = células fotovoltaicas).

Digo “combustíveis” entre aspas, porque os combustíveis renováveis não são, necessariamente, combustíveis (combustível = qualquer substância que produz a reação denominada combustão), alguns produzem energia através de reações eletroquímicas, ou de forma mecânica. Mesmo assim, eles são chamados de combustíveis por uma questão de praticidade.

Usualmente, é atribuída ainda, outra característica às fontes renováveis de energia, o fato de constituírem uma forma de energia limpa, ou seja, não geram poluentes como produtos da geração de energia. Foi este ponto que fez com que as fontes renováveis se tornassem tão atraentes, embora isso não seja verdade em todos os casos. Por exemplo, a biomassa (fontes orgânicas usadas para produzir energia, como restos de serralheria, cavacos, etc.) que, embora seja considerada uma fonte renovável de energia, produz alguns tipos de poluentes atmosféricos como o material particulado.

Entretanto, as vantagens ambientais dos combustíveis renováveis é que mesmo que emitam certa quantidade de poluentes (como mostrado com relação a biomassa), a quantidade de poluentes gerada por quantidade de energia produzida é bem menor e menos impactante.

Sem contar que as fontes de energia renovável podem ser obtidas em qualquer lugar (como a energia solar e eólica, por exemplo), diferentemente do petróleo, por exemplo, que é, em sua maior parte, concentrado na região do Oriente Médio. Outro ponto a favor das energias alternativas é que a maior parte delas pode gerar energia de forma descentralizada diminuindo os custos de implantação, possibilitando o acesso a energia por comunidades em regiões isoladas e aumentando a eficiência e rapidez de implantação do sistema uma vez que podem ser dispensadas as quilométricas linhas de transmissão (que por si só já produzem um enorme impacto ambiental).

No Brasil, segundo a Aneel, em outubro de 2003 as formas alternativas de energia correspondiam a 83% da energia elétrica gerada em território nacional, sendo que deste percentual, 79% eram de usinas hidrelétricas e apenas 4% de outras fontes renováveis de energia como a biomassa, energia eólica e energia solar.