Doenças do Fígado

Por Débora Carvalho Meldau
O fígado é o órgão responsável pela maior parte das reações metabólicas, sendo que qualquer problema que ocorra neste é de grande preocupação.

A maioria das afecções hepáticas é acompanhada por icterícia. Dentre outros sinais clínicos exibidos por esses pacientes estão: colúria (urina escura), hipo ou acolia fecal (fezes de coloração clara), prurido (coceira), ascite (conhecida como barriga d’água), sangramentos, alterações na pele, cansaço, entre outros.

Dentre as principais doenças que acometem o fígado encontramos, em primeiro lugar, as hepatites virais, que podem ser classificadas como A, B, C, delta, E, F e G.

Por conseguinte, encontram-se as doenças causadas pelo álcool, como a cirrose, doenças hepáticas tóxicas, insuficiência hepática, fibrose, entre outras. Indivíduos do sexo masculino que ingerem mais de 10 cervejas ou mais de meio litro de bebida destilada por semana, depois de 5 a 10 anos podem comprometer o fígado, bem como outros órgãos (pâncreas e estômago). Já mulheres que consomem metade dessas doses, por semana, podem adoecer.

É sabido que de 10 indivíduos alcoólatras, 9 desenvolvem esteatose hepática, sendo que destes 4 irão evoluir para hepatite crônica, enquanto 2 terão cirrose. A situação desses indivíduos é agravada quando os mesmos possuem o vírus da hepatite B, C ou D.

Após os problemas relacionados ao álcool, encontramos as afecções hepáticas gordurosas relacionadas à ingestão de alimentos em excesso. Estas compreendem a NAFLD (non-alcoholic fatty liver disease), que em português quer dizer doença gordurosa hepática não alcoólica. Esta vai desde uma simples esteatose até uma cirrose em estágio avançado, passando por estágios intermediários de esteato-hepatite e fibrose. A Organização Mundial de Saúde (OMS) acredita que, nos próximos anos, aproximadamente 3 milhões de pessoas irão desenvolver cirrose devido à esteato-hepatite não-alcoólica (NASH, que em inglês significa Non-alcoholic Steato-hepatitis), que é a forma severa da NAFLD. A consequente cirrose da NASH pode evoluir com falência hepática grave, podendo surgir hepatocarcinomas durante essa evolução.

Diversos pacientes que possuem doença hepática terminal ou tumor hepático resultante da NASH são candidatos ao transplante de fígado. A NAFLD e a NASH estão em terceiro lugar no ranking de transplante hepático no mundo, perdendo apenas para as hepatites virais e o alcoolismo.

Em quarto lugar de causas de doenças que acometem o fígado, encontramos as doenças hepáticas auto-imunes, como é o caso da hepatite auto-imune e das doenças genéticas que se manifestam na idade adulta, levando à cirrose ou insuficiência aguda do órgão.

Subsequentemente, encontram-se a hemocromatose, afecção genética resultante do acúmulo de ferro na corrente sanguínea, em consequência de problemas no processamento do mesmo proveniente da dieta. Esta doença leva à cirrose, resistência a insulina, bem como disfunção erétil.

Fontes:
http://www.drashirleydecampos.com.br/noticias/912
http://www.indicedesaude.com/entrevista_ver.php?id=94
http://www.todabiologia.com/anatomia/figado.htm
http://www.virtual.epm.br/material/tis/curr-bio/trab2004/1ano/figado/pato.htm
http://www.portalbrasil.net/medicina_esteatosehepatica.htm

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.