Otites

Por Thais Pacievitch
As infecções que ocorrem no ouvido, tanto no médio quando no externo, são chamadas de otites. As otites podem ser agudas ou crônicas.

É chamada de otite externa a infecção no canal auditivo, causada por bactérias ou fungos. As bactérias, e mais raramente os fungos, penetram no canal auditivo por lesões na pele, que podem ser causadas por cotonetes, ou outros objetos utilizados para limpar, coçar ou secar o ouvido. A otite externa é chamada de otite de nadadores, pois o constante contato com a água facilita a remoção da cera que protege o canal auditivo, deixando os nadadores mais suscetíveis à otite externa. Dor intensa, coceira, eventual secreção e diminuição da audição podem ser sintomas de otite externa.

É chamada de otite média aguda a infecção e/ou obstrução do ouvido médio, comumente causado por vírus ou bactérias. Existem diferentes formas clinicas de otite média aguda, sendo que ela pode ocorrer com ou sem formação e acumulo de liquido no ouvido.

A otite média aguda sem formação de liquido pode ser causada por obstrução, sem necessariamente ocorrer à participação de um agente viral ou bacteriano.

As otites médias agudas com formação de líquido podem ser classificadas em:

  • Otite média aguda serosa – O líquido presente na cavidade timpânica tem aspecto seroso e transparente. Geralmente, é conseqüência de infecções respiratórias.
  • Otite média aguda supurativa – Caracteriza-se pela presença de pus na cavidade timpânica. A infecção é bacteriana, e pode ser decorrente de uma infecção respiratória.
  • Otite média aguda necrotizante – É basicamente a mesma infecção da otite média aguda supurativa, no entanto se diferencia pela rapidez em que se instala e pelo poder de destruição de tecidos quando se instala em pessoas com imunidade baixa.

Já a otite média crônica é caracterizada quando ocorrem infecções constantes e contínuas por um período de três meses ou mais. Geralmente essas infecções causam a perfuração da membrana do tímpano. A audição pode ser afetada pelas infecções constantes. Em alguns casos, ocorre o crescimento de colesteatomas, pequenos tumores benignos que crescem no ouvido. Esses casos requerem tratamento cirúrgico.

Dor severa, acompanhada de diminuição da audição são os sintomas mais comuns das otites médias. Outros sintomas são: febre, diminuição de apetite, agitação e secreção no ouvido, nos casos em que há ruptura timpânica.

Como forma de prevenir as otites, deve-se evitar introduzir objetos no ouvido para coçá-lo ou limpa-lo. Mesmo ao secar as orelhas com a toalha, deve-se ter cuidado para não causar pequenas lesões. A cera é uma proteção do ouvido, por isso não deve ser removida. Ao nadar, utilizar protetores nos ouvidos. Em caso de sintomas como dor de ouvido, alterações na audição ou coceira intensa, deve-se procurar o médico.

Referências:

KNÖLLER, Patrícia de Vasconcellos. Otites Médias. 1999. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Audiologia Clinica).  CEFAC, Rio de Janeiro, 1999. Disponível em:

<http://www.cefac.br/library/teses/ee93b56314ace092dc10c095957a3698.pdf> Acesso em: 15 mai. 2010.

OTITES: As infecções do ouvido. Boa Saúde. Disponível em: <http://boasaude.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=4779&ReturnCatID=1787> Acesso em 16 mai. 2010.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.