Amensalismo

As relações ecológicas estão presentes dentro dos ecossistemas que nós conhecemos, algumas podem ser benéficas para um ou mais organismos envolvidos, enquanto outras podem ser maléficas. O amensalismo ou antibiose é uma das relações ecológicas em que apenas um dos seres é beneficiado, portanto o outro organismo envolvido será prejudicado. De forma simples, uma espécie é inibida enquanto a outra não é afetada.

Quando lidamos com organismos vivos que prejudicam outros organismos para sobreviverem, a primeira impressão que temos é que eles são ruins, e é uma impressão falsa. Toda e qualquer interação entre os organismos vivos que tenha o objetivo de sobrevivência da espécie é fruto de um longo período de evolução, e são essenciais para o equilíbrio do planeta. Ter em mente o funcionamento básico de uma cadeia alimentar ajudaria a lidar e entender melhor com esse tipo de situação.

Fato é, que o organismo que faz amensalismo está prejudicando outras espécies, por isso a relação é considerada negativa, mas esse organismo precisa realizar esse tipo de interação para manter viva sua espécie. É um processo natural e de sobrevivência.

Os organismos praticantes de antibiose irão produzir substâncias tóxicas que prejudicarão o organismo hospedeiro ou amensal. Essas substâncias tóxicas impedem que o ciclo de vida natural dos organismos amensais seja cumprido, eles não conseguem se desenvolver e se reproduzir, a competição por espaço e matéria orgânica se torna injusta.

Os principais praticantes da antibiose são as plantas, mas animais de grande porte e insetos também podem ser considerados praticantes de antibiose.

A seguir alguns exemplos de antibiose:

  • O fungo Penicillium notatum, produz uma substância chamada penicilina (conhecido como o antibiótico mais antigo) que impede o crescimento de bactérias.
  • A árvore eucalipto (Eucalyptus globulus) secreta algumas substâncias por suas raízes que afetam e impedem o crescimento de todas as plantas que estão ao seu redor. Isso diminui a competição local por água e nutrientes, e concede ao eucalipto a fama de árvore de fácil adaptação.
  • As árvores altas e de grandes dimensões podem tornar o ambiente afótico (sem luz) para os organismos que estão em níveis mais baixos, e a pouca luz que chegar até eles não será suficiente para manutenção da vida, o crescimento de gramíneas, arbustos e outras plantas próximas ao chão será prejudicado.

Nos ambientes marinhos e de água doce existe um problema chamado maré vermelha ou bloom de algas, que se caracteriza pela presença de grande quantidade de microrganismos dinoflagelados, e que devido a condições climáticas apropriadas se reproduzem rapidamente, mudando o aspecto da região aquática. O principal efeito desse fenômeno é o alto número de mortalidade dos animais dessas regiões, espécies de peixes marinhos e costeiros, aves, mamíferos marinhos (principalmente o peixe-boi), e muitos outros organismos. Existem estudos que apontam a maré vermelha como um fenômeno natural e estudos que apontam a maré vermelha como um problema antrópico.

A maré vermelha seria um fenômeno muito bonito, se não fosse a grande quantidade de animais afetados por essas toxinas.

Referências:
https://en.wikipedia.org/wiki/Red_tide#Causes
https://es.wikipedia.org/wiki/Amensalismo
https://global.britannica.com/science/amensalism
http://www.bookrags.com/research/amensalism-wob/#gsc.tab=0