Amensalismo

Por Thais Pacievitch
Amensalismo, ou antibiose, como também é conhecida, é uma das relações interespecíficas desarmônicas na qual uma das espécies (inibidora) prejudica a outra espécie (amensal) sem com isso se beneficiar, por meio de substancias que produz e libera, e que prejudicam o crescimento e/ou a reprodução da outra espécie.

São exemplos de amensalismo:

+ Fungos do gênero Penicillium notatum e bactérias – Exemplo mais popular de amensalismo, é o antibiótico penicilina, em sua relação com as bactérias. Esse tipo de medicação é muito utilizada no combate a infecções bacterianas é produzido por fungos que, embora não se beneficiem, impedem a multiplicação das bactérias, e as mata.

+ Maré vermelha – Fenômeno causado pelas algas marinhas planctônicas dinoflageladas Gonyaulax, do tipo Pirrófitas, que em ambiente favorável, se proliferam e liberam uma substância tóxica, que se concentra em manchas vermelhas no oceano, causando a morte de diversas espécies de animais marinhos.

+ Eucaliptos - As folhas de eucaliptos que caem no solo liberam uma substância que diminui a incidência de germinação de sementes no local.

+ Pinheiros – As folhas de pinheiros que caem no solo liberam uma substância que diminui a incidência de germinação de sementes no local.

+ Raízes – Certas plantas secretam e eliminam substâncias tóxicas pela raiz, que impedem o crescimento de outras espécies no local.

A alelopatia é por vezes confundida com o amensalismo. A diferença é que na alelopatia as espécies envolvidas são competidoras em potencial, portanto, uma das espécies obtém vantagem em relação à outra, diferente do amensalismo, no qual não existe qualquer beneficio para a espécie inibidora.

Outras relações interespecíficas desarmônicas são: a competição, o parasitismo e o predatismo.