Anticoagulantes

Por Marina Martinez
Anticoagulantes são substâncias que impedem a formação de coágulos no sangue (trombos), inibindo a síntese dos fatores de coagulação. São muito utilizados em tubos de ensaio, malas de transfusão de sangue e equipamento de diálise renal. Também são administrados por pessoas como medicamento para combater a trombose (coagulação do sangue de forma inadequada nos vasos sanguíneos) bem como prevenir a embolia pulmonar, infarto do miocárdio e acidentes vasculares cerebrais em pessoas que são predispostas. Os coágulos de sangue são a principal causa de derrames e ataques cardíacos, o que causa mortes frequentes em várias partes do mundo, podendo ser evitadas com o uso de anticoagulantes.

Um dos anticoagulantes mais utilizados e consumidos em todo o mundo é a aspirina, principalmente por pessoas que tiveram um infarto do miocárdio, angina, ataque cerebral isquêmico ou ataque isquêmico transitório. A aspirina ajuda a diluir o sangue ao inibir a produção de prostaglandinas, reduzindo a produção de coágulos. É importante salientar que pessoas que tomam aspirina regularmente correm o risco de problemas estomacais, incluindo sangramento no estômago, que podem ser intensificados com o consumo de álcool. Os riscos e benefícios da terapia com aspirina são diferentes para cada pessoa, por isso é importante ter um acompanhamento médico.

A heparina é um anticoagulante natural extraído originalmente do fígado, produzida por basófilos e mastócitos, descoberta em 1916. É um anticoagulante que atua na trombina, impedindo a transformação do fibrinogênio em fibrina. Torna o sangue mais fluido e aumenta as concentrações de lipídios no sangue. É muito utilizada em casos de síndrome coronariana aguda, trombose venosa profunda, embolia pulmonar, entre outros casos. A heparina é mal absorvida pelo intestino, por isso é administrada por via intravenosa ou subcutânea (sob a pele). Injeções intramusculares (no músculo) são evitadas por causa da formação de hematomas. Devido ao seu efeito anticoagulante, a heparina cria um risco significativo de sangramento excessivo. Outros efeitos adversos da heparina incluem trombocitopenia, queda do cabelo transitória, osteoporose e reações alérgicas. Em tubos de ensaio, a heparina é usada para realização de gasometria, exames de hematologia, dosagens bioquímicas, radioimunoensaio e imonologia.

A Varfarina também é um anticoagulante muito utilizado em forma de comprimido. Foi inicialmente comercializada como pesticida contra ratos e camundongos e é ainda popular para este fim. Descobriu-se alguns anos após a sua introdução que a varfarina era também eficaz para prevenir a trombose e embolia pulmonar. Em 1950 foi aprovada para uso como medicamento e manteve-se popular desde então. A varfarina é um derivado sintético da cumarina, substância encontrada naturalmente em muitas plantas, que diminui a coagulação do sangue, interferindo com o metabolismo da vitamina K. É prescrita principalmente para pessoas com maior tendência para trombose ou como profilaxia secundária (prevenção de novos episódios) em indivíduos que já formaram um coágulo sanguíneo (trombo).

Um efeito colateral relativamente raro devido ao uso de varfarina é a necrose da pele, que costuma se manifestar no prazo de uma semana após iniciar o tratamento. Outro efeito colateral, porém comum é a hemorragia.

Nunca deve-se tomar nenhum medicamento que não tenha sido prescrito pelo médico. Para usuários de anticoagulantes deve-se limitar a atividade física para diminuir as chances de se obter ferimentos (cortes e contusões), sempre tomar o medicamento no horário estipulado pelo médico, suspender o uso em casos de suspeita de gravidez (os anticoagulantes podem causar defeitos congênitos graves) e ficar atento e procurar um médico imediatamente nos seguintes casos:

  • Sangramento das gengivas.
  • Sangue na urina.
  • Hemorragias nasais frequentes.
  • Hemorragia intensa em corte simples.
  • Fezes com sangue.
  • Tonturas e fraqueza.
  • Dor intensa, como dor de cabeça ou estômago.

Outros anticoagulantes, utilizados em laboratórios são:

  • EDTA: É o melhor anticoagulante utilizado em hematologia para realização de vários exames.
  • Oxalatos: Este anticoagulante é usado em estudos de coagulação, contagem de GB, GV, Ht, Hb, em dosagens bioquímicas.
  • Citratos: Usados em estudos de coagulação e em VHS (Velocidade de hemossedimentação sanguínea).
  • Fluoretos: Usados para exames de glicemia. É um inibidor enzimático e conservador de glicose.

Referências Bibliográficas:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Anticoagulante
http://pt.wikipedia.org/wiki/Heparina
http://pt.wikipedia.org/wiki/Varfarina
http://www.medipedia.pt/home/home.php?module=artigoEnc&id=171
http://www.fluxo.com/saude_vascular/anticoagulantes.html

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.