Arquipélago de Galápagos

Por Ana Lucia Santana
As Ilhas Galápagos ou Arquipélago de Colombo, como também são conhecidas, constituem um total de 13 ilhas maiores, 6 menores e mais de 40 pequenas ilhas; de todo esse território, 8.010 km², situado a cerca de mil quilômetros a oeste do litoral equatoriano, no Pacífico, somente quatro são povoadas.

Este arquipélago encontra-se em terras do Equador; seu âmbito administrativo está sob a alçada da província de mesmo nome, que tem como capital Puerto Baquerizo Moreno. As Ilhas se tornaram famosas depois da antológica viagem do naturalista inglês Charles Darwin, criador da Teoria da Evolução das Espécies.

Galápagos revela, até hoje, uma assombrosa biodiversidade, configurando para uma multiplicidade de espécies animais muito particulares, que englobam as conhecidas tartarugas desta região, o habitat ideal. Esta vasta riqueza está sob a gestão do Equador, e constitui a maior oficina biológica de todo o Planeta. Em nenhum outro lugar do mundo é possível encontrar tantas variedades no que se refere à flora e à fauna.

Tudo nesta esfera contribuiu para criar este paraíso das espécies, desde sua localização, ao sul da linha do Equador, para onde se direcionam diversas correntes marítimas, até as temperaturas locais e a rara presença de predadores, incluindo o próprio ser humano. Isto possibilitou a inúmeros espécimes evoluírem e sobreviverem até os dias atuais, constituindo exemplares singulares, só encontrados neste ambiente. Aí também os turistas se deparam com os cenários mais exuberantes e diversificados.

Estudos indicam que as ilhas surgiram em meio ao Pacífico há pelo menos cinco milhões de anos, em consequência de erupções de vulcões localizados sob o mar. E são justamente os produtos destas convulsões que conferem ao arquipélago uma atmosfera extraterrena, com suas camadas de lava e rochas de origem vulcânica.

As Ilhas Galápagos são vistas inicialmente em duas cartas geográficas do século XVI, denominadas então Ilhas das Tartarugas. Seu primeiro habitante foi Patrick Watkins, um irlandês aí legado ao desamparo em 1807. Durante dois anos ele permaneceu neste local praticando a lavoura e permutando a colheita por garrafas de rum com os eventuais turistas da época. Em 1809 ele conseguiu deixar o local.

Galápagos foi legalmente ligada ao Equador em 1832, batizada então como Archipiélago del Ecuador, embora seu título oficial seja Arquipélago de Cólon. A fauna e a flora atingem as ilhas por meio do continente, fixando-se nos primordiais rios de lava que configuram as Ilhas Galápagos desde tempos ancestrais.

Desfilam neste território tartarugas imensas, iguanas marítimas e terrenas, lagartixas de lava, tentilhões, pinguins menores, as mais belas focas e simpáticos golfinhos. Além do mais, as ondas que formam os mares desta região levam os surfistas ao êxtase. Elas são consideradas magistrais pelos especialistas. Por tudo isso e muito mais a Unesco decretou as Ilhas Galápagos como Patrimônio Natural da Humanidade.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Galápagos
http://www.viagensmaneiras.com/viagens/INTERNACIONAL/ilhasgalapagos.htm
http://correiociencia.wordpress.com/2009/07/12/um-novo-olhar-sobre-antigas-controversias-na-teoria-da-evolucao-2/galapagos-tortoise-2/