Metas do Milênio

Em 2000 a ONU (Organização das Nações Unidas) aprovou um documento denominado “Declaração do Milênio”, um pacto assinado por 192 países membros da ONU estabelecendo o compromisso de garantir a sustentabilidade do planeta Terra. Neste documento constam oito metas a serem atingidas pelos países até 2015, as “Metas de Desenvolvimento do Milênio”, também chamadas de “Metas do Milênio” ou “Os 8 Jeitos de Mudar o Mundo”. A saber:

1. Erradicar a extrema pobreza e a fome: mais de um bilhão de pessoas no mundo passam fome. Atingir essa meta significa dar condições de vida a inúmeras pessoas que morrem todos os anos, muitas das quais são crianças, por não ter o que comer. Enquanto em países desenvolvidos joga-se no lixo cerca de 40% dos alimentos produzidos;

2. Atingir a educação básica de qualidade para todos – 113 milhões de crianças, no mundo todo, estão fora da escola. Sanar esta deficiência significa garantir maior acesso a um trabalho digno e condições melhores de vida, o que, além disso, influencia diretamente no desenvolvimento dos países através da qualificação de profissionais e difusão do conhecimento;

3. Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia da mulher – 2/3 dos analfabetos em todo o mundo são mulheres que, junto com as crianças, somam 80% do número de refugiados por todo o planeta;

4. Reduzir a mortalidade infantil – 11 milhões de bebês morrem todos os anos vítimas da falta de atendimento especializado, saneamento básico, acesso a água potável e alimentos, e também pela falta de acompanhamento pré-natal;

5. Melhorar a saúde materna – a cada 48 partos realizados 1 mãe morre. Para que haja melhora com relação a essa meta é necessário além da disseminação do acompanhamento pré-natal, de um melhor atendimento às mães na hora do parto, o que só pode ser alcançado através de melhorias integradas no sistema de saúde pública;

6. Combater a AIDS, a malária e outras doenças – principalmente em países em desenvolvimento como o Brasil, Senegal e Uganda, as epidemias e doenças contagiosas cerceiam milhares de vidas todos os anos. Reverter este quadro exige garantir acesso à informação a essas populações, acesso aos meios de prevenção e tratamento e melhoria da qualidade de vida com medidas como garantia de acesso ao saneamento básico;

7. Garantir a sustentabilidade ambiental – garantir a sustentabilidade ambiental é um aspecto fundamental também para a concretização dos demais objetivos, afinal, quanto mais degradação houver mais catástrofes ocorrerão, o acesso a água potável tenderá a diminuir e encarecer assim como aos alimentos, sem contar as doenças respiratórias e outras referentes às interferências descontroladas do homem na natureza como, por exemplo, algumas epidemias;

8. Estabelecer uma parceria mundial para o desenvolvimento – a maioria dos países em desenvolvimento gasta mais pagando sua dívida externa do que investindo em melhorias para a população. A solução inclui além da redução da dívida dos países mais pobres que possuem as maiores dívidas, a capacitação de profissionais nesses países que trabalharão para o desenvolvimento do mercado interno garantindo o desenvolvimento.

As Metas do Milênio e a Declaração do Milênio são iniciativas que não se restringem ao poder público, mas que podem e devem ser assumidas por empresas e pela população através de ONGs, associações e outros tipos de iniciativas. Um exemplo disso é o Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade criado em 2004, com o objetivo de disseminar as metas e conscientizar a população sobre a necessidade de se envolver e pressionar os governos para a criação e execução de políticas públicas a fim de atingir as metas.

Arquivado em: Geografia