Caifazes

Idealizado por Antônio Bento de Sousa e Castro, o Movimento dos Caifazes organizava fugas de escravos no final do século XIX. Antônio Bento e seus comparsas roubavam os negros e os enviavam para o quilombo do Jabaquara (Santos). Então eles eram mandados para a província cearense, local onde a igualdade racial já havia sido decretada. O Movimento dos Caifazes teve influência de artistas como o poeta Luís Gama que disse, "o escravo que mata o seu senhor pratica um ato de legítima defesa". Após sua morte, foi substituído por Antônio Bento.

Antonio Bento era filho de uma família paulistana bem rica. Seu modo de agir e se vestir era tido como excêntrico entre a burguesia paulistana daquela época. O escritor Raul Pompéia descreveu o burguês de São Paulo da seguinte forma: “Magro, estreitado, do tornozelo à orelha, no longo capote preto como num tubo, chapéu alto, cabeça inclinada, mãos nos bolsos, quebrando contra o peito pela fenda da gola o rijo cavaignac de arame, o olhar disfarçado nos óculos azuis como uma lâmina no estojo, marcha retilínea de passo igual tirado sobre articulações metálicas”.

Tamanha era a vontade de Antonio Bento em roubar os negros, que ele os acomodava em sua casa e nas residências de seus comparsas caifazes. Nesta época, houve uma pressão social e econômica contra a escravidão, então muitas cidades decretaram Lei Áurea e acabaram libertando os negros roubados pelos Caifazes. Assim, alguns senhores começaram a contratar negros como trabalhadores ganhando salário fixo.

Caifazes é um nome de inspiração bíblica, retirado de uma passagem do evangelho de São João. O personagem que batizou o grupo tinha o nome de Caifás, homem que supostamente traía por causas "nobres".

Com uma atividade prolífica, o grupo dos Caifazes ganhou estudos de diversos historiadores e obras como a de Maria Helena Petrillo Berardi, onde é possível encontrar a declaração de Afonso de Freitas de que em dez anos "não existiria mais escravos em São Paulo" caso os Caifazes continuassem agindo de forma tão efetiva.

Fontes:
http://www.revistadehistoria.com.br/v2/home/?go=detalhe&id=2555
http://pt.wikipedia.org/wiki/Movimento_dos_Caifazes