História da Índia

Por Thais Pacievitch
A história da Índia teve início aproximadamente em 3300 a.C., quando a primeira civilização urbana se formou nos arredores do vale no Rio Indu, que origina o nome do país.

Por volta de 1500 a.C., a Índia foi invadida pelas tribos árias, povos nômades, vindos provavelmente do Irã, que ocuparam a região, dominando a civilização hindu que se formava. Teve início, então, o Período Védico, que durou até 500 a.C.

O período Védico ficou marcado pelas escrituras compiladas de hinos escritos em sânscrito nessa época, que foram chamados de Vedas (saber sagrado). Foram escritos quatro Vedas: Rig-Veda, Yajur-Veda, Sama-Veda e Atharva-Veda. Algumas descrições contidas nos Vedas dão uma noção de como eram a vida e a sociedade, naquela época. Nos últimos anos do século IV, o período Védico se encerrou quando ocorreram transformações no país e surgiram novas religiões e novas ideologias.

O surgimento do budismo (pregado por Buda) e do Jainismo (pregado por Mahavira) no contexto indiano trouxe novas orientações ao hinduismo estabelecido na região. Com a invasão dos turcos, árabes e afegãos, o islamismo foi introduzido naquela região.

Entre os séculos XVII e XIV, Dinastia Mughal reinou na Índia e deixou suas marcas principalmente por sua arquitetura presente ainda hoje em um bairro afastado do centro da cidade de Nova Déli, que, aliás, é chamada de Velha Déli. Um exemplo é o maior mosteiro da Índia, o Jama Masjid, construído a partir de 1644. O Taj Mahal, contrução realizada entre 1630 e 1652, é outro exemplo da arquitetura típica da Dinastia Mughal.

Na época das navegações e da colonização, os portugueses (com Vasco da Gama) foram os primeiros a se estabelecer na Índia, embora não tenham exercido o papel de colonizadores no país.

Já os ingleses, a partir de 1858, utilizaram a Companhia Inglesa das Índias Orientais para se estabelecerem amigavelmente no país, passando então a administrar, através da figura do vice-rei, pouco mais da metade da Índia, o que deu origem ao termo “Índia Britânica”. O restante do país continuava sob a autoridade de governantes hindus ou muçulmanos, geralmente chamados de marajás.

Com o crescimento do sentimento nacionalista disseminado por “Mahatma” (“Grande Alma”) Gandhi, no início do século XX, e com o movimento de “descolonização”, após fim da Segunda Guerra Mundial, em 15 de agosto de 1947, a Inglaterra passou aos indianos a administração das regiões da Índia que governava, e reconheceu tanto a Índia como o Paquistão.

A separação da região governada pela Inglaterra entre a Índia e o Paquistão causou um desentendimento em relação a região da Caxemira, disputada até hoje entre as duas nações. A situação na região é preocupante pelo fato de ambos os países possuirem armas nucleares.
Atualmente, a presidente da Republica da Índia, nome oficial do país, é Pratibha Patil. Ela é a primeira mulher a governar o país.