Baleia

Graduação em Ciências Biológicas (Unicamp, 2012)
Mestrado Profissional em Conservação da Fauna Silvestre (UFSCar e Fundação Parque Zoológico de São Paulo, 2015).

As baleias são mamíferos pertencentes à ordem dos cetáceos, que é dividida em duas subordens: Myscticeti (baleias de barbatanas) e Odontoceti (baleias com dentes). Há em torno de 14 famílias vivas, divididas em 43 gêneros e 86 espécies. São seres que evoluíram do meio terrestre para o aquático e realizam todas as suas atividades (reprodução, alimentação, descanso, etc.) na água. As baleias ocupam todos os oceanos do mundo e as atuais parecem ter se originado a partir da ordem dos Artiodactylas, passando para a água há cerca de 50 milhões de anos atrás.

  • Mysticeti: são caracterizadas por possuírem barbatanas na região bucal, estruturas de queratina do tipo cerdas. Estas funcionam na filtração da água para conseguirem alimento. São as maiores espécies conhecidas. Exemplo: Baleia-azul, maior animal vivo.
  • Odontoceti: são baleias que possuem dentes e se alimentam de animais maiores, como lulas e peixes. Exemplo: Cachalote-anão e golfinho.

Características

Baleia cachalote. Foto: Shane Gross / Shutterstock.com

Baleias são praticamente sem pelos (alguns jovens possuem em algumas partes do corpo), amamentam e são endotérmicos, como todos os mamíferos. Possuem adaptações ao meio aquático, como o corpo fusiforme, parecido com de um peixe, os membros anteriores lembram um remo, próprio para o nado, os membros inferiores são vestigiais, possuem uma cauda com lobos horizontais que também auxiliam no nado. Corpo contém uma camada espessa de gordura subcutânea, que auxilia na flutuação e o mantém aquecido. As narinas ficam no topo da cabeça, respiram por pulmões, o pescoço é encurtado e não têm glândulas sudoríparas.

São animais grandes, com espécies que podem pesar até 180 toneladas e medir até 30 metros. Sobem à superfície e respiram pelas narinas, soltando um jato de ar quente (vindo dos pulmões), que condensa com o choque de temperatura na superfície, parecendo um jato de água. Quando mergulham conseguem ficar longos períodos sem respirar (cachalote pode ficar até três horas sem respirar) porque possuem sistema circulatório e respiratório mais eficientes do que outros mamíferos: em profundidade o batimento cardíaco cai e há menor gasto de oxigênio, além de terem o dobro de eritrócitos e hemoglobina para o transporte de oxigênio.

Comunicam-se por vocalizações e usam a ecolocalização para orientação. Depois dos primatas, existem espécies que são consideradas as mais inteligentes entre os mamíferos.

Reprodução

Cada espécie tem uma característica diferente, além de ser difícil o estudo do comportamento destes animais. A maioria das espécies tem uma única estação reprodutiva por ano, fêmeas acasalam geralmente com mais de um macho em cada estadia. As fêmeas reproduzem de um até seis anos, sendo que a gestação dura de 10 a 17 meses. Os filhotes nascem normalmente na estação quente e já saem nadando. São cuidados pela mãe de seis meses a mais de dois anos, dependendo da espécie. Ganham peso rapidamente: filhotes de baleia azul ganham em torno de 90 kg por dia, mas demoram pelo menos dois anos para alcançarem a maturidade sexual, sendo que algumas espécies só depois dos dez anos de idade. Devido à dificuldade de estudo sobre esses animais, é complicado saber a idade exata que alcançam, mas há registros com espécies que vivem perto dos cem anos.

Podem viver isolados, como em grupos de dezenas a centenas, dependendo da espécie. Algumas espécies permanecem dentro de uma área toda sua vida, mas existem as que migram sazonalmente entre as áreas de alimentação nas regiões temperadas até as áreas tropicais de reprodução. Baleias dormem, mas acredita-se que um hemisfério cerebral de algumas epécies dorme e o outro não, para não se afogarem e se manterem alertas.

Curiosidades

Baleias orca. Foto: Robert Pittman / NOAA / via Wikimedia Commons

Você sabia que a orca ("baleia assassina") não é uma baleia? Ela é da família Delphinidae, a mesma dos golfinhos.

Ameaças

A principal causa de morte das baleias é a caça predatória, a procura de gordura, carne, ou barbatanas. A maioria das espécies está ameaçada de extinção, uma vez que a caça intensa e a baixa taxa reprodutiva não facilita a recuperação das populações.

Leia também:

Referências:

Reis, N.R.; Peracchi, A.L.; Pedro, W.A.; Lima, I.P. Mamíferos do Brasil. 2.ed. Londrina: Nélio R. dos Reis, 2011. 315-316p.

http://animaldiversity.org/accounts/Cetacea/
https://pt.wikipedia.org/wiki/Cet%C3%A1ceos
http://www.baleias.com.br/especie_baleia.htm

Arquivado em: Mamíferos