Produto Orgânico

Por Caroline Faria
Produto orgânico é todo aquele produzido sem o uso de adubos químicos, defensivos ou agrotóxicos. Ele é mais saudável porque não contém as substâncias químicas que os produtos tradicionais absorvem dos defensivos agrícolas geralmente usados nas lavouras, ou mesmo na produção de proteína animal onde podem ser utilizados antibióticos.

Os alimentos orgânicos vêm roubando a cena dos produtos tradicionais por possuírem, principalmente, duas características: são mais saudáveis e não agridem o meio ambiente.

Todo agrotóxico, defensivo ou mesmo fertilizante químico aplicado em uma lavoura deixa resquícios dos seus compostos nos produtos onde foi aplicado. Ainda mais, se a aplicação for feita de maneira errada, o que também pode causar danos para o próprio agricultor, no caso das lavouras.
Quando falamos de proteína animal orgânica nos referimos à criação de gado, suínos, galináceos, e etc. sem a utilização de hormônios e antibióticos que também permanecem no produto final e acabam sendo consumidos indiretamente por nós, podendo em grandes quantidades causar sérios problemas.

Do ponto de vista ambiental a agricultura orgânica traz vantagens porque evita a contaminação de mananciais de água, do solo e o esgotamento dos nutrientes do solo pelo uso da monocultura. Além do que, gera um sentimento de respeito à natureza e integração.

A produção orgânica exige um manejo integrado da produção com o objetivo de garantir sua qualidade e evitar possíveis perdas ou pragas de maneira natural. Em lavouras, por exemplo, é utilizado o plantio consorciado (quando se planta duas culturas ao mesmo tempo ou alternadamente) com o fim de evitar o esgotamento do solo e o plantio em curvas de nível.

É importante não confundir produto orgânico com produto natural ou hidropônico. Produto natural é todo aquele que provém da natureza, o que não quer dizer que seja benéfico nem livre de agrotóxicos. E hidropônico é todo produto cultivado na água, onde podem ser utilizados adubos químicos solúveis, o que já descarta a possibilidade de serem orgânicos.

Existem algumas certificações que garantem a proveniência dos produtos orgânicos como: o selo do IBD – Instituto Biodinâmico de Desenvolvimento Rural, a ABIO – Associação de Agricultores Biológicos, ACS Amazônia – Associação de Certificação Socioparticipativa da Amazônia, ANC – Associação de Agricultura Natural de Campinas, APAN – Associação dos Produtores de Agricultura Natural, BCS Öko Garantie – organização independente acreditada pela União Européia, EUA e Japão, Chão VIVO – Associação de Certificação de Produtos Orgânicos do Espírito Santo, CMO – Fundação ou Certificadora Mokiti Okada, Coolméia – Cooperativa Coolméia, ECOCERT – empresa francesa considerada uma das maiores da Europa no ramo de certificação orgânica, FVO – Farm Verified Organic, IMO – Instituto de Mercado Ecológico, Minas Orgânica – Encontro Mineiro de Produção Orgânica, OIA – Organização Internacional Agropecuária, associada a AAO – Associação de Agricultura Orgânica, Sapucaí – Certificadora Sapucaí (sem fins lucrativos), SKAL – Skal International do Brasil – Control Union Certifications (certificadora brasileiro-holandesa) e TECPAR – Instituto de Tecnologia do Paraná.

Fontes
http://www.ambientebrasil.com.br
http://www.planetaorganico.com.br