Marés

Licenciada em Geografia (UFG, 2003)

As águas dos oceanos e mares estão sempre em movimento. As correntes marinhas e as marés são as principais responsáveis pela dinâmica das águas oceânicas.

Quem já passou o dia todo na praia já deve ter notado que no decorrer do dia há uma variação do nível da água do mar sobre a faixa de areia. Em alguns períodos a água recua e a impressão que temos é de que a praia fica mais “larga”. O oposto também ocorre: em outros momentos, podemos ver que a água do mar avança sobre a faixa de areia e a praia fica mais “estreita”.

Foto de uma maré baixa.

Maré baixa. Foto: Anselm Baumgart / Shutterstock.com

Como ocorre o sobe e desce das marés?

A Lua dá voltas em torno da Terra, e neste movimento, tanto a Terra é atraída pela Lua, quanto o nosso satélite natural é atraído pela Terra pela força da gravidade. É a atração gravitacional que a Lua exerce sobre o Planeta Terra que ocasiona o movimento das águas oceânicas, que chamamos de marés.

O Sol também influencia no movimento das marés. No entanto a influência da Lua é bem mais forte, pois embora o Sol seja muito maior que a Lua, ele está muito mais afastado, o que reduz a intensidade da atração gravitacional.

Além da Lua e do Sol, a rotação da Terra sobre o seu eixo também colabora para a formação das marés. Uma “metade” de nosso planeta está sempre voltada para a Lua, que exerce seu poder de atração sobre as águas. Nesta face, teremos maré alta. Na face oposta à Lua teremos maré baixa. Ou seja, é como se a lua “puxasse” as águas da metade para a qual ela está voltada no momento.

Maré baixa e maré alta

O nível máximo que a água do mar alcança chama-se maré alta ou preamar. Em oposição, o nível mais baixo que as águas oceânicas podem chegar é chamada de maré baixa ou baixa-mar. As marés baixas e as marés altas, ocorrem em intervalos de aproximadamente seis horas.

Amplitude de maré é o termo utilizado para designar a variação entre o nível mínimo da maré baixa e o nível máximo da maré alta.

A importância das marés

O cotidiano das pessoas que residem nas regiões costeiras é influenciado pelas marés. Trabalhadores da pesca e da navegação, em especial, guiam-se pelas previsões de movimento das águas oceânicas para realizar suas atividades.

As marés também têm sido utilizadas como fonte geradora de energia elétrica. Um dos modos de geração de energia funciona da seguinte maneira: gigantescos tanques são construídos para serem cheios com a água do mar na maré alta. Quando a maré baixa, ou seja, a água sai do tanque, faz girar uma turbina ali contida, assim produzindo energia elétrica.

As marés e a formação do relevo costeiro

As marés – de duas formas – contribuem para a formação do relevo litorâneo:

  • O movimento das águas provoca continuamente o desgaste e a erosão – ou abrasão – do relevo da costa, desagregando rochas e deslocando materiais. Este processo cria diferentes formas de relevo ao longo do litoral.
  • As águas oceânicas, movidas pelas marés, transportam os sedimentos que se depositam ao longo da costa, contribuindo para a acumulação de materiais marinhos, criando assim outras formas de relevo como praias de areia, restingas, manguezais e ilhas.

Fontes:

Tábua das Marés – Marinha do Brasil - http://www.mar.mil.br/dhn/chm/box-previsao-mare/tabuas/infotmares.html

UFGRS - Marés, fases da Lua e bebês - http://astro.if.ufrgs.br/lang/lang.htm

UFSCAR - ]As Influências da Lua na Terra e o Fenômeno das Marés - http://www.dm.ufscar.br/dm/index.php/component/attachments/download/19

Marés – Instituto Hidrográfico Marinha Portugal - http://www.hidrografico.pt/glossario-cientifico-mares.php

Novo Olhar – Geografia – Ensino Médio – 1- Rogério Martinez e Wanessa Garcia – São Paulo, Editora FTD, 2013.

Arquivado em: Geografia, Oceanografia