Feijão

Por Tania Bernardes
feijão pretoO feijão é uma planta da família das Leguminosas, cujas vagens e semente são dotadas de grande valor nutritivo. Há 1.016 variedades de feijão, entre as quais o feijão comum (Phaseolus vulgaris), o preto (Phaseolus derasus) e o anão (Phaseolus nanus) são alguns dos mais conhecidos.

Composição Química

Tipo calorias carboidratos Proteínas gorduras Vit.A (100g) Vit.B1 Vit.B2 Vit. B5 Vit.C Sais
Feijão-Branco 324,00 54,50% 20,10% 01,95% 18 UI 600 mcg 300 mcg 0,650 mg - 3,50%
Feijão-manteiga 326,00 58,05% 19,10% 01,75% 25 UI 320 mcg 166 mcg 3,000 mg 09,8 mg 3,50%
Feijão-preto 322,00 50,32% 23,80% 02,10% 65 UI 245 mcg 185 mcg 4,000 mg 01,1 mg 3,50%
Feijão-verde (vagem) 42,00 07,40% 02,30% 00,30% 700 UI 215 mcg 200 mcg 0,540 mg 23,2 mg 3,50%

A especificação dos sais contidos no feijão é a seguinte (miligramas em 100g):

Sais Minerais Verdes Secos
Fósforo 51,00 470,00
Potássio 247,00 229,00
Cálcio 50,00 160,00
Sódio 9,00 97,00
Magnésio 25,00 60,00
Ferro 1,00 7,00

Uso Medicinal

As vargens verdes , ricas em fosfato de potássio, “são excelentes para acidose, inchações e flatulência” segundo Dr. Teófilo L. Ochoa. “Utiliza-se no tratamento de Diabete sacarina, pois agem sobre a glicemia, reduzindo a taxa” Dr. Kaufmann.

As vagens também trazem magníficos resultados em casos de debilidade geral ou desnutrição.

Contra Indicação

Afirma o Dr. Domingos D’Ambrosio que o feijão, pelo seu conteúdo de oxalatos e corpos purínicos, quando seco, é desaconselhado aos que sofrem de reumatismo, nefrite, hepatite e artritismo.

Valor Alimentício

O feijão pode ser usado verde (em vagens ou brotos) ou seco (grão maduro). Embora o feijão maduro seja altamente nutritivo, em alguns estômagos são intoleráveis por serem flatulentos (causam gases) e de lenta digestão, nesses casos convém amassá-los ou liquidificá-los.

Não se deve remover sua casca, pois é rica em sais de fósforo e enxofre e parte de suas substâncias isotadas. O melhor preparo do feijão é cozê-lo bem até que obtenha um caldo grosso (a moda mineira), pois o grão solto em água rala tem forma e sabor desagradável e indigesto.

Saiba mais

  • Proteínas – As proteínas são as fontes de aminoácidos que no organismo cumpre função biológica nos processos anabólicos orgânicos (a formação, desenvolvimento e manutenção de nossos órgãos, músculos e tecidos), ou seja, construtores.
  • Lipoproteínas - De origem animal direta (todo tipo de carne) e indireta (ovos, leite e seus derivados). As lipoproteínas animais são portadoras de quase todos os aminoácidos, mas, muito rica em lipídios saturados (que impregna, de difícil absorção), incluindo colesterol.
  • Fitoproteínas – São de origem vegetal, entre as quais se destacam o soja, grão de bico, ervilha, lentilha, feijão, amêndoas, levedo de cerveja, gérmen de trigo e algas unicelulares. As fitoproteínas são paralelamente ricas em enzimas, fibras vitaminas e lipídios insaturados.

Fonte / Referencia:
[1] As Hortaliças na Medicina Doméstica, Editora: EDEL – 6ª Edição
[2] Naturopatia Aplicada, INNAP – Trofologia: Os Macronutrientes
[3] Dicionário Básico de Biologia Editora: Ciência Moderna