Rúcula

Por Marina Martinez
A rúcula, cujo nome científico é Eruca sativa, é uma planta herbácea, anual, de pequeno porte, pertencente à família Brassicaceae da qual estão inclusas mais de três mil espécies, entre elas o repolho, o nabo e a couve. Nativa do mediterrâneo e introduzida no Brasil com a chegada dos imigrantes italianos, a rúcula tem sido cultivada por conter folhas comestíveis de sabor picante característico, muito apreciadas por serem nutritivas e saborosas. Estas folhas, que possuem forma alongada, podem ser encontradas em tons que variam do verde-claro ao verde-escuro, sendo consumidas em várias partes do mundo cruas em saladas, como também refogadas, cozidas e como ingrediente de várias receitas.

Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Brassicales
Família: Brassicaceae
Gênero: Eruca
Espécie: E. Sativa

As folhas de rúcula possuem um perfil nutricional bastante atrativo. Elas são ricas em vitamina A, C, fibras, proteínas, e minerais como o potássio, ferro e enxofre. Por conter pouquíssimas calorias (uma xícara contém cerca de 10 kcal), a rúcula pode estar presente em dietas de emagrecimento. Além disto, as folhas são antianêmicas, antiasmáticas, antiescorbúticas, depurativas, digestivas, diuréticas e aperientes. No entanto, não devem ser consumidas em excesso, pois neste caso as folhas causam enjôos e vômitos.

Cultivada no jardim de casa ou comprada no supermercado é importante antes de consumir as folhas de rúcula, lavá-las devidamente para remover todas as sujeiras, como também os possíveis parasitas impregnados que podem causar sérios danos a saúde. Sob refrigeração a rúcula pode ser armazenada em no máximo quatro dias, sendo recomendado guardá-las em sacos plásticos contendo furos. Em condições ambientes ela deve ser consumida em no máximo um dia, desde que a parte de baixo da hortaliça esteja mergulhada na água.

Planta de fácil cultivo e adaptada a climas amenos, onde as temperaturas estejam em torno de 15 a 20 graus Celsius, as rúculas se desenvolvem bem o ano todo. No entanto, necessitam de solos bem drenados, ricos em matéria orgânica, férteis e com acidez baixa. A produção de rúcula no Brasil se concentra principalmente nas regiões Sul e Sudeste, e a espécie mais cultivada é a Eruca sativa Miller.

Assim como qualquer outra planta, a rúcula também esta exposta aos ataques de várias pragas agrícolas. Das pragas mais comuns que atacam as rúculas, podemos destacar a lagarta-da-couve, a lagarta-rosca, a lagarta mede-palmo, a traça-das-folhas e os pulgões. Várias doenças como a ferrugem branca das folhas, a mancha de Cercospora, a mancha de Alternaria, a mancha de Septoria, a podridão Mole e a Fusariose, podem estar presentes nas rúculas quando cultivadas erroneamente ou devido a fatores externos.

Fontes:
http://globoruraltv.globo.com/GRural/0,27062,LTP0-4373-1-L-R,00.html
http://www.agrov.com/vegetais/hortalicas/rucula.htm
http://www.plantamed.com.br/plantaservas/especies/Eruca_sativa.htm