Derivação

Por Ana Paula de Araújo
Algumas palavras da língua portuguesa sofrem um processo de derivação. Esse processo consiste na alteração de uma palavra primitiva através da junção ou subtração de itens, com o objetivo de formar uma nova palavra.

Vejamos quais os tipos de derivação que temos:

Derivação prefixal (prefixo + palavra primitiva)

Acontece a derivação prefixal quando formamos uma palavra através da soma de uma palavra primitiva (ou seu radical) com um prefixo.

Exemplos:

a + normal = anormal

tri + ângulo = triângulo
di + sílaba = dissílaba

des + obediência = desobediência
contra + pôr = contrapor

Derivação Sufixal (palavra primitiva + sufixo)

Neste caso a palavra é formada através da soma de uma palavra primitiva com o seu sufixo.

Exemplos:

último + mente = ultimamente

jornal + eiro = jornaleiro

chuva + oso = chuvoso
casa + eiro = caseiro

Derivação Prefixal e Sufixal (prefixo + palavra primitiva + sufixo)

Processo de formação de palavras em que um prefixo e um sufixo são acrescentados à palavra de maneira independente.

Exemplo:

deslealmente (des- prefixo e -mente sufixo).

OBS: nesse processo, mesmo com a ausência do prefixo ou do sufixo forma-se ainda uma palavra da língua portuguesa. (lealmente/desleal)

Derivação Parassintética (prefixo + palavra primitiva + sufixo)

Neste caso, para que a palavra possa ser formada é necessário acrescentar um prefixo e um sufixo. Somente com a presença de um dos dois a palavra não será formada.

Exemplo:

en + gaiola + ar = engaiolar
a + manh(ã) + ecer = amanhecer

Derivação Regressiva (A palavra primitiva reduz-se ao formar a palavra derivada)

cortar > corte
errar > erro
recuar > recuo

debater > debate

Derivação Imprópria (Mudança gramatical nas palavras sem alteração da forma)

pereira – Pereira (nome próprio)
Porto - porto (vinho)