Morfemas

Por Ana Paula de Araújo
Morfemas são as partes de uma palavra, é a menor partícula significativa da língua portuguesa. Quando analisamos uma palavra morfologicamente, ou seja, quando analisamos a sua forma, podemos separar as partes desta palavra, seus morfemas.

Chamam-se morfemas: RAIZ, RADICAL, DESINÊNCIA, VOGAL TEMÁTICA, TEMA e AFIXOS.

Em uma palavra como SOL temos apenas um morfema, mas já na palavra insolação, podemos encontrar três: in+sol+ação. Neste caso, SOL seria a RADICAL da palavra, IN seria o PREFIXO e AÇÃO o sufixo.

Vejamos cada um dos morfemas citados acima e sua definição:

RAIZ – é o morfema que contém o núcleo significativo comum a uma família lingüística, ou seja, é a partir da raiz da palavra que se associa ela a outras da mesma família e que identificamos o seu significado.

Por exemplo, as palavras erva e herbívoro são da mesma família. Sabemos disso por causa da sua raiz em comum: herbae. Mesmo que o radical tenha sofrido alterações, identificamos a semelhança através do significado.

RADICAL – é o morfema que funciona como o segmento lexical da palavra, geralmente se repetindo em todas ou na maioria das palavras daquela família.

Temos como exemplo as palavras pedra, pedreira, pedregulho e empedrar que possuem o mesmo radical pedr-. Vale ressaltar que nem sempre o radical permanece intacto, na maioria dos casos sofre alterações por conta da evolução sofrida pela língua.

DESINÊNCIA – este morfema serve para indicar as flexões da palavra, ou seja, as variações de gênero e número, no caso dos nomes, e de pessoa, número, modo e tempo, no caso dos verbos.

Exemplos: menina, menino, meninas, meninos (nome) e cantar cantaremos, cantarão, cantaria (verbo).

VOGAL TEMÁTICA – é o morfema que caracteriza nomes e verbos quando não são flexionados, ou seja, quando estão estanques.

No caso dos nomes, a vogal temática aparece quando não há variação de gênero ou de número: poeta, casa, corpo, livro, dente, ponte. São elas as letras A, E e O.

No caso dos verbos, servem para indicar a qual das três conjugações tal verbo pertence: A (primeira conjugação), E ou O (segunda conjugação) e I (terceira conjugação).

TEMA – quando juntamos o radical à vogal temática formamos o tema da palavra.

AFIXOS – quando uma palavra é formada por processo de derivação ela recebe uma partícula a mais no início, no meio ou no fim da mesma. Essas partículas são chamadas de afixos, e dependendo do local onde se encontram na palavra são denominadas diferentemente.

Existem, pois, três tipos de AFIXOS: o prefixo (que aparece no início da palavra), o infixo (que fica no meio da palavra) e o sufixo (que aparece no final da palavra).

É importante diferenciar que os afixos não servem para flexionar a palavra, mas para formar uma nova palavra ao serem acrescentados. As desinências, por sua vez, não formam uma nova palavra, mas flexionam aquela que já existe para gerar uma concordância com o restante das palavras a ela relacionadas.

Bibliografia:
Gramática Normativa da Língua Portuguesa (Rocha Lima)