Química fina

Graduação em Química (Faculdades Anhanguera, 2016)

A Química Fina é o ramo da química que lida com produtos que requerem alto grau de pureza, isentos de contaminações, que normalmente são utilizados para fabricação de fármacos, medicamentos e vacinas, pesticidas e defensivos agrícolas, cosméticos, excipientes e intermediários químicos, aditivos, catalisadores e alimentos. A nomenclatura “Química Fina” foi criada para diferenciar o setor que atua com produção de químicos especiais, pois tratam-se de produtos tecnologicamente intensivos e que possuem aplicações especializadas.

Os compostos produzidos pela indústria de química fina são altamente tecnológicos, que são denominados intermediários de síntese, pois normalmente não são produtos que são destinados ao consumidos final.

A indústria de química fina atua com produtos que são feitos através de sínteses químicas orgânicas e inorgânicas ou por processos biotecnológicos, e atualmente utilizam-se também componentes nanotecnológicos no desenvolvimento desses produtos. Por ser uma indústria que lida com produtos com alto nível de pureza, deve-se adequar os processos produtivos e as instalações das empresas de acordo com regulamentações, normas e especificações técnicas exigentes. No Brasil, a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), estabelece normas e procedimentos para registro dos diversos produtos que são feitos pela indústria de química fina, e realizam também a fiscalização das instalações das empresas a fim de verificar irregularidades no processo. Em outros países, há órgãos específicos que são responsáveis por realizar o registro e a fiscalização dos produtos originários da indústria de química fina, como por exemplo a FDA (Food and Drug Administration), que regulamenta os produtos nos Estados Unidos.

Os processos de fabricação dos produtos são realizados comumente em bateladas ou lotes, em pequena escala de produção, contudo há exceções, como por exemplo, a fabricação de intermediários de síntese como penicilina, vitamina C e corantes, que são produzidos normalmente em processos contínuos.

Para atuar em indústrias de química fina, são necessários profissionais competentes e com capacitação técnica, pois tratam-se de processos específicos e de alto grau de complexidade. Há diversos programas de qualidade e produtividade que são implementados nas indústrias desse segmento, afim de aumentar a competitividade, lucro e qualidade final dos produtos, aliando desse modo, a competitividade à satisfação dos clientes.

Os produtos originários desta indústria possuem alto valor agregado e baixa produtividade, por se tratarem de processos específicos para realizar a produção dos mesmos, com alto grau de complexidade e normalmente são comercializados em dólares por quilograma de produto.

Vejamos abaixo, os principais produtos que são obtidos através de processos industriais pertinentes à indústria de química fina:

  • Defensivos agrícolas;
  • Fármacos, medicamentos e vacinas;
  • Corantes e pigmentos,
  • Extratos, óleos, essências e fragrâncias;
  • Catalisadores;
  • Aditivos para polímeros, graxas e lubrificantes;
  • Aditivos para indústria alimentícia e de cosméticos;
  • Insumos para mineração.

A indústria de química fina no Brasil retém aproximadamente 21% do faturamento do setor químico do país, graças à elevada capacitação técnica dos profissionais que atuam nessas industrias e elevado investimento em novas tecnologias.

Referências:
http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=vtls000115767&fd=y
http://quimicanova.sbq.org.br/detalhe_artigo.asp?id=5906
http://www.abifina.org.br/

Arquivado em: Química