Cobras não peçonhentas

Por Thais Pacievitch
São chamadas de cobras não-peçonhentas as cobras que não possuem os chamados dentes inoculadores de veneno, ou seja, ainda que possuam o veneno, não têm a presa necessária para injetar esse veneno em suas vitimas.

As principais características dessas serpentes não peçonhentas são:

- Cabeça redonda.
- Cores vivas.
- Olhos com pupila redonda.
- Escamas lisas e brilhantes.
- Não possuem fosseta loreal.

Porém, essas características, apesar de válidas, também podem aparecer em algumas serpentes peçonhentas, o que torna difícil a um leigo a distinção precisa entre serpentes peçonhentas e não-peçonhentas. Um bom exemplo disso é a cobra coral verdadeiro. Essa espécie tem a cabeça redonda, escamas lisas e brilhantes, seus olhos têm pupilas redondas e ela não possui fosseta loreal. Apesar de todas as características de uma serpente não-peçonhenta, a coral verdadeira é peçonhenta e seu veneno pode ser mortal.

Existem também as cobras que não são peçonhentas, mas que apresentam características das peçonhentas, como a jibóia.

As principais serpentes não-peçonhentas são:

  • Jibóias - são carnívoras, alimentam-se de aves e roedores de pequeno e médio porte e lagartos. Tem hábitos noturnos. Podem atingir 4 m.
  • Muçuranas – são ofiófagas, ou seja, se alimentam de outras cobras, inclusive as peçonhentas. Mede até 2,40 m.
  • Sucuris – Alimentam-se de veados, peixes, capivaras, tartarugas, jacarés e até de bezerros. Em raros casos, homens. Atingem no máximo 10 m.
  • Caninanas - Alimentam-se de pequenos pássaros, pintinhos e camundongos. É agressiva, apesar de não venenosa.
  • Corais falsas - têm hábitos noturnos e subterrâneos. Alimentam-se de filhotes de pássaros, insetos (especialmente gafanhotos) e de pequenos roedores.

Algumas espécies, como jibóias e sucuris matam suas vitimas por asfixia, ao se enrolar ao redor do corpo da presa. Matam por constrição, e engolem a presa inteira sem mastigação. Todo o processo de digestão acontece no estômago.

Acidentes com cobras não-peçonhentas podem acontecer, porém, uma mordida dessas espécies causaria no máximo uma inflamação local com muito prurido.