Vacinação de Crianças

As vacinas são substâncias capazes de estimular o sistema imunológico, a fim de tornar o organismo imune, ou mais resistente, a alguns agentes patológicos. Seu efeito se faz pela presença de proteínas, toxinas, partes de bactérias ou vírus, ou mesmo vírus e bactérias inteiros, atenuados ou mortos, que ao serem introduzidos no organismo de um animal estimulam a síntese de anticorpos. Além das substâncias imunogênicas, as vacinas podem conter outras, como líquido de suspensão, conservantes, estabilizantes e adjuvantes, com funções de evitar a contaminação, proteger os imunobiológicos de condições adversas (frio, calor, alterações do pH) ou aumentar o estímulo à produção de anticorpos.

Foto: Evgeny Atamanenko / Shutterstock.com

Foto: Evgeny Atamanenko / Shutterstock.com

O calendário vacinal é uma seqüência cronológica de vacinas que se administram sistematicamente às crianças de determinada área ou região.
No calendário vacinal proposto pelo Ministério da Saúde incluem as seguintes vacinas:

  • BCG: vacina contra a tuberculose.
  • VHB: vacina contra a hepatite B.
  • SABIN: vacina contra a poliomielite.
  • DPT-Hib: vacina contra difteria, coqueluche, tétano e H. influenzae tipo b.
  • FA: vacina contra febre amarela
  • DPT: vacina contra difteria, coqueluche e tétano
  • Tríplice Viral: vacina contra sarampo, caxumba e rubéola.
  • ROTA: vacina oral contra rotavírus.
  • dT: vacina dupla, tipo adulto, contra a difteria e o tétano.

Cada vacina possui uma idade mínima para ser iniciada, e os intervalos entre as doses devem ser respeitados para que a vacinação seja mais efetiva. Para isso o Ministério da saúde elaborou um esquema de vacinação, que é utilizado por todo o sistema de saúde brasileiro.

Idade Vacina
Ao nascer BCG + VHB
1 mês VHB
2 meses DPT-Hib + SABIN + ROTA
4 meses DPT-Hib + SABIN + ROTA
6 meses DPT-Hib + SABIN + VHB
9 meses FA
12 meses Tríplice Viral
15 meses DPT + SABIN
4 – 6 anos DPT + Tríplice Viral
10 – 11 anos dT + FA

A Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda outras vacinas que não estão incluídas no calendário vacinal, são elas:

  • influenza para crianças com idade entre 6 e 24 meses;
  • pneumococo para crianças com idade entre 2 e 60 meses;
  • varicela
  • hepatite A para crianças com mais de um ano de idade.

A principal contra-indicação ao uso de uma vacina é o antecedente positivo de reação alérgica. Nesta situação, que se caracteriza pela ocorrência de edema, urticária, bronco espasmo ou choque, imediatamente ou nas primeiras horas após a vacinação, pode haver risco de morte em caso de nova vacinação.

Essa situação é extremamente rara (menos de 1 caso para 100.000 doses). Alem disso a vacinação é contra-indicada em pacientes com imunodeficiência, como portadores de câncer, submetidos a transplante de medula, infectados pelo HIV ou submetidos a tratamento com radioterapia e quimioterapia.

Em alguns casos é recomendável o adiamento da vacinação, como na presença de doença aguda com comprometimento do estado geral ou em recém-nascidos com menos de 2 kg.

A criança deve fazer acompanhamento médico mensal no primeiro ano de vida, e todas as informações sobre a vacinação e sua importância serão passadas pelo médico.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Doenças, Medicina, Saúde