Responsabilidade socioambiental

Mestre em Ecologia e Recursos Naturais (UFSCAR, 2019)
Bacharel em Ciências Biológicas (UNIFESP, 2015)

Organizações e empresas possuem uma série de obrigações judiciais e econômicas às quais elas devem seguir para atuar de modo ético segundo a lei e a moral. Desde o crescimento do movimento ambientalista, as corporações também passaram a incorporar em sua missão, visão e valores a sua responsabilidade socioambiental para com a sociedade e com o meio ambiente. Deste modo, o setor privado se compromete a desenvolver suas atividades sem causar danos à natureza, comprometendo-se a usar recursos de maneira sustentável, dispor corretamente dos resíduos e favorecer projetos de melhoria e inovação conscientes.

De acordo com a Comissão Mundial do Meio Ambiente, somente o comprometimento com iniciativas sustentáveis das grandes empresas globais pode reverter o quadro de destruição do mundo natural. Embora o poder público tenha que ser continuamente cobrado por sua parcela de responsabilidade, são as empresas privadas que possuem maior alcance de atuação, ainda mais em um mundo globalizado onde não existem fronteiras para organizações multibilionárias.

Muitas vezes o aspecto social acaba ganhando destaque nas ações socioambientais das corporações, uma vez que este é percebido diretamente pela população. Contudo, agir de maneira ética e responsável para com a humanidade não pode mais ser dissociado da proteção a biodiversidade e preocupação com o meio ambiente. Dentro deste cenário, as empresas podem atuar em um ou mais aspectos principais da responsabilidade socioambiental.

Eliminação de resíduos e emissões

Muitas companhias passaram a usar o mercado de carbono e os créditos de carbono para regular seu funcionamento, adquirindo selos internacionais de sustentabilidade e “negócio verde” (ou seja, preocupado com o meio ambiente). Isso não somente ajuda em relação a suas campanhas publicitarias como lhes favorece em questões regulatórias, permitindo sua atuação com menos restrições.

A Unilever, um dos maiores conglomerados de marcas do mundo, incorporou a responsabilidade socioambiental em sua identidade desde 2010. Desde então, 75% de todos os resíduos não-tóxicos da empresa são reciclados por ela mesma e a Unilever exige que seus parceiros agrícolas, que provem matéria-prima, utilizem práticas sustentáveis que minimizem os impactos de suas operações no meio ambiente.

Maximização da eficiência e produtividade

Reformular a maneira como os processos são feitos e utilizar equipamentos modernos com consumo de energia eficiente são algumas medidas simples que favorecem o meio ambiente. Com maior eficiência, a matéria-prima é convertida em produto final com menos resíduos produzidos.

A Panasonic, do ramo de eletrodomésticos, é um grande exemplo de empresa ultra eficiente. Desde o lançamento de produtos cada vez mais eco-friendly (“ambientalmente amigáveis”) até a reformulação da maneira de conduzir seus escritórios, com grande parte dos funcionários trabalhando em regime home office, reduzindo seu tempo e gastos com deslocamento.

Redução do consumo de recursos naturais

Diminuir o consumo de energia, o uso de plástico e madeira para manufaturar seus produtos e procurar maneiras criativas de reutilizar os recursos matérias disponíveis também faz parte da responsabilidade socioambiental das empresas.

Um exemplo de organização que reduziu seu consumo de recursos foi a gigante do setor de tecnologia e informação, a Apple. Em 2015 a empresa se tornou a maior produtora de energia solar para consumo próprio do mundo (em parceria com a First Solar). Todos os seus escritórios e lojas na Califórnia utilizam painéis solares, eliminando a dependência de energia elétrica produzida por fontes não-renováveis.

Referências:

Green, M.A., 2011. Learning experience for thin‐film solar modules: First Solar, Inc. case study. Progress in Photovoltaics: Research and applications19(4), pp.498-500.

Kovács, G., 2008. Corporate environmental responsibility in the supply chain. Journal of Cleaner Production16(15), pp.1571-1578.

Mirvis, P., 2011. Unilever's Drive for Sustainability and CSR–Changing the Game. In Organizing for sustainability. Emerald Group Publishing Limited.

Thiel, M., 2010. Innovations in corporate social responsibility from global business leaders at panasonic, thomson reuters and nanyang business school. American Journal of Economics and Business Administration2(2), pp.194-200.

Arquivado em: Administração, Ecologia