Cultivo de café no Brasil

Especialista em Geografia do Brasil (Faculdades Integradas de Jacarepaguá, RJ)
Mestre em Educação (Estácio de Sá, 2016)
Graduado em Geografia (Simonsen, 2010)

Este artigo foi útil?
Considere fazer uma contribuição:


Ouça este artigo:

O café foi a grande riqueza do Brasil durante um longo período, especialmente durante o Império e a Primeira República, até aproximadamente a ascensão do Estado Novo de Getúlio Vargas e o início da industrialização brasileira.

O poderio dos produtores de café era tão grande que alguns atribuem a própria origem da república brasileira em partes no descontentamento dos produtores de café do Brasil com a abolição da escravidão promovida chancelada pela família imperial.

A república brasileira ficou conhecida como Café com leite, pois os dois Estados produtores destes alimentos dominavam a política nacional (respectivamente, São Paulo com o café e Minas Gerais com o leite) e os Presidentes da República eram alternadamente de Minas Gerais e de São Paulo até que o presidente Washington Luís (paulista) quebrou o acordo e indicou o também paulista Júlio Prestes como candidato governista para a presidência.

Por ironia do destino, na atualidade, o Estado de Minas Gerais é que é o maior produtor de café do Brasil, enquanto São Paulo é apenas o terceiro maior produtor (ficando atrás ainda do Espírito Santo).

Por fim, alguns estados brasileiros se negaram a apoiar o candidato governista entre eles a Paraíba e o Rio Grande do Sul que lançaram a chapa do gaúcho Getúlio Vargas com o paraibano João Pessoa para respectivamente presidente e vice-presidente.

Com o assassinato de João Pessoa, a bandeira do Estado da Paraíba passou a ter a inscrição “NEGO” demonstrando que o Estado negou seu apoio ao candidato governista paulista. Além das cores preta (do luto) e vermelha da Aliança Liberal da qual João Pessoa fazia parte.

Além deste episódio, o café ilustra outras bandeiras no Brasil, pois não era apenas em São Paulo que ele era produzido. No Estado do Rio de Janeiro existe ainda hoje o chamado Vale do Café no sul do Estado e por isso os ramos de café ilustram a bandeira do Estado, juntamente com a cana-de-açúcar que era a riqueza do norte do Estado. Ele também está na Bandeira do Estado de Santa Catarina.

No Brasil são produzidas tanto a variedade Arábica quanto a variedade Robusta, as duas principais variedades de café produzidas no mundo. Ainda hoje o Brasil é o maior produtor de café no mundo, apesar de ter concorrentes consideráveis em outros países.

Plantação de café. Foto: Alf Ribeiro / Shutterstock.com

Tradicionalmente o cultivo de café no Brasil está concentrado no sudeste, sendo que deles apenas o Estado do Rio de Janeiro não tem mais um peso relevante na produção de café brasileira em decorrência da quebra do vale do café que acabou se voltando para a produção industrial e com uma considerável degradação ambiental em algumas de suas cidades.

O cultivo de café no Rio de Janeiro também foi responsável pelo surgimento da maior floresta replantada do mundo, pois onde hoje é a floresta da Tijuca (Rio de Janeiro) foi toda desmatada para o plantio do café, o que trouxe graves consequências ambientais ainda nos tempos do Império, como a seca. Para amenizar os danos ambientais, o imperador dom Pedro II ordenou o reflorestamento de toda a região.

A produção de café no Brasil pode ser dividida entre os grandes produtores que abastecem as grandes redes e os chamados microlotes, com cafés especiais para públicos mais seletos.

Arquivado em: Agricultura