Língua

Mestre em Ciências Biológicas (Universidade de Aveiro-SP, 2013)
Graduada em Biologia (Universidade Santa Cecília-SP, 2003)

A língua, estrutura do sistema gustativo, é um órgão sensorial e muscular que está localizada na cavidade oral e faríngea, caracterizada por ser recoberta por uma membrana com papilas gustativas em sua superfície (estão presentes os botões e as células gustativas) e os corpúsculos de Krause, responsáveis por perceber as sensações táteis. A língua possui duas funções:

  • Órgão sensorial: percebe a conformação, a dimensão, a textura, a temperatura e o sabor dos alimentos.
  • Órgão muscular: auxilia o movimento dos alimentos dentro da cavidade bucal, inicia a deglutição e participa na linguagem (articula as palavras durante a fala).

Foto: Deyan Georgiev / Shutterstock.com

A língua é constituída por um esqueleto osteo-fibroso, por um revestimento mucoso e por músculos. O osso hióide, as lâminas fibrosas da membra glosso-hiloidea e o septo da língua constituem o esqueleto osteo-fibroso da língua. Os músculos do órgão são de dois tipos: (1) músculos extrínsecos da língua – genioglosso (entre todos é o mais volumoso, triangular com vértice anterior em corte sagital, presente próximo e paralelo alinha media), hioglosso (fino, plano e quadrilátero presente na parte lateral e inferior da língua), estiloglosso (curto e pequeno, da face anterolateral do processo estiloide, perto do seu ápice, e da extremidade estiloide do ligamento estilomandibular), condroglosso (parte do lado medial e da base do corno menor do hióide) e palatoglosso (em função e inervação está associado ao palato mole); (2) músculos intrínsecos da língua – longitudinal superior (fino estrato de fibras oblíquas e longitudinais situadas abaixo da túnica mucosa do dorso da língua), longitudinal inferior (da raiz até o ápice da língua), transverso (septo fibroso mediano até o tecido fibroso submucoso na margem lingual, misturando-se com o músculo palatofaríngeo) e vertical (da face dorsal até a ventral da língua nas bordas anteriores).

Anatomia da língua. Ilustração: joshya / Shutterstock.com [adaptado]

A língua é fixada pelos músculos no osso hioide, na mandíbula, nos processos estiloides, no palato mole e na parede da faringe. Com um formato de cone, tem uma raiz, ápice (a ponta toca os dentes incisivos), dorso curvo (recoberto pelas papilas gustativas) e uma face inferior.

A imensa mobilidade do órgão é viabilizada pelas fibras musculares intrínsecas que estão dispostas em um complexo de fascículos em várias direções. A raiz da estrutura, com músculos genio-hiloideo e milo-hiloideo, é fixa no osso hiloide e na mandíbula.

Os quimiorreceptores presentes na língua são constituídos por moléculas que fazem a interação com as moléculas do alimento. Tem origem nos corpúsculos gustativos que estão em dois terços na porção anterior da língua e da epiglote. O trajeto ocorre do nervo lingual e corda do tímpano até o sistema nervoso intermédio, VII par de nervos craniano. Os estímulos da porção posterior da língua e da epiglote seguem ao sistema nervoso central pelos nervos glossofaríngeo, IX par de nervos craniano, e vago, X par de nervos craniano.

Esses receptores são as células epiteliais que possuem a propriedade neuronal, transformam a informação química em estímulos elétricos, para depois em em sinais elétricos, com uma identificação diferente para cada tipo de sabor e que será interpretada pelo cérebro.

Referências:

ANATOMIA ONLINE. A língua. Disponível em: <https://www.anatomiaonline.com/lingua/>. Acesso em: 13/07/2018.

LOPEZ, A. C. M. et al. Percepção de sabor: uma revisão. Visão Acadêmica, v. 12, n. 1, 2011.